Protestos contra o racismo

Internacional Negros têm motivos para temer a polícia, diz procurador de Minnesota

Negros têm motivos para temer a polícia, diz procurador de Minnesota

Servidor público é negro e muçulmano, elogiou o trabalho do chefe da polícia de Minneapolis, também negro, e falou sobre reformar a polícia

  • Internacional | Da EFE

Procurador disse que violência é uma história que se repete

Procurador disse que violência é uma história que se repete

Lucas Jackson/Reuters - 30.5.2020

O procurador-geral de Minnesota, Keith Ellison, afirmou neste domingo (31) que a população negra do estado tem motivos para temer a polícia, ao conceder entrevista à emissora Fox News para falar sobre o assassinato de George Floyd, que foi assassinado enquanto era detido pelo policial branco Derek Chauvin em Minneapolis.

"Tristemente (há motivos), sim. Há uma história que se repete de tempos em tempos", lamentou.

Ellison enfatizou que há muitos oficiais que são "grandes pessoas" e elogiou o chefe da polícia local de Minneapolis, Medaria Arradondo, o primeiro homem negro a chefiar este departamento, o qual classificou como "uma pessoa extraordinária".

No entanto, criticou o desempenho do chefe do Sindicato da Polícia de Minneapolis, Bob Kroll.

"Ele funciona como uma espécie de chefe alternativo que, na minha opinião, mina a boa ordem no departamento, por isso penso que temos desafios pela frente", afirmou.

Kroll foi denunciado em 2007 por quatro oficiais negros, um deles Arradondo, que o acusou de discriminação racial.

"Penso que podemos fazer uma reforma (na polícia). Vamos reformá-la, há muitos grandes oficiais que querem uma reforma e é bom ter um chefe (de polícia) que a queira", disse Ellison.

Ellison já foi legislador na câmara baixa para o Quinto Distrito de Minnesota, o primeiro muçulmano a ter assento na Câmara dos Representantes e o primeiro negro a representar o Estado.

Em 2018, tornou-se o primeiro negro e o primeiro muçulmano a ser eleito para cargos públicos estaduais em Minnesota, quando concorreu ao cargo de procurador-geral.

Veja: Protestos pela morte de George Floyd se espalham pela Europa

Últimas