Netanyahu entra em quarentena por suspeita de coronavírus

Primeiro-ministro interino de Israel teve contato com uma conselheira que sofria da doença e aguarda resultados de testes

Netanyahu aguarda testes para o novo coronavírus

Netanyahu aguarda testes para o novo coronavírus

Brendan McDermid / Reuters - 28.1.2020

O primeiro-ministro interino de Israel, Benjamin Netanyahu, está em quarentena a partir desta segunda-feira (30) após ter tido contato com uma conselheira que testou positivo para o novo coronavírus, informaram fontes oficiais.

"Mesmo antes que a investigação epidemiológica esteja completa e para garantir a sua segurança, o primeiro-ministro decidiu que ele e sua equipe mais próxima ficarão isolados até que o teste seja concluído", informou o escritório de Netanyahu.

- Acompanhe a cobertura da pandemia de coronavírus no R7 -

"De acordo com os resultados dos testes, o Ministério da Saúde e seu médico pessoal decidirão a data em que o isolamento vai terminar", diz a nota.

Conselheira próxima com coronavírus

Ontem foi anunciado que a conselheira Rivka Paluj havia testado positivo para covid-19, embora não estivesse claro se, nos últimos dias, ela esteve em contato direto com o primeiro-ministro.

Inicialmente, fontes no gabinete do primeiro-ministro negaram que Netanyahu tivesse de ser confinado, pois não tinha participado de reuniões com Rivka nos últimos quinze dias. Agora, ele optou pelo isolamento preventivo.

Netanyahu está imerso em negociações árduas com seu até recentemente rival, Beny Gantz, líder da coalizão Azul e Branco, para montar um governo de unidade nacional com o qual enfrentar a pandemia, depois mais de um ano de estagnação política e com um Executivo apenas interino.

No momento, os efeitos do coronavírus em Israel são muito mais moderados do que na Europa, com 4.347 casos, dos quais 80 estão em estado grave e 16 mortes confirmadas.