Coronavírus

Internacional Nova Zelândia: variante Delta muda estratégia na luta contra a covid

Nova Zelândia: variante Delta muda estratégia na luta contra a covid

Registro de 21 casos da doença em Auckland depois de seis meses sem novas infecções provocou um confinamento nacional

AFP
Cidade de Auckland registrou 21 casos da variante Delta do coronavírus

Cidade de Auckland registrou 21 casos da variante Delta do coronavírus

Marty MELVILLE / AFP

A Nova Zelândia reconheceu, neste domingo (22), que sua ambiciosa estratégia de "zero covid" pode não ser mais viável, devido ao avanço da propagação da contagiosa variante Delta do coronavirus.

O ministro encarregado da resposta à covid-19, Chris Hipkins, informou outros 21 casos em um foco de contágio que surgiu na semana passada em Auckland, depois de seis meses sem infecções locais, o que provocou um confinamento nacional.

Hipkins disse que a natureza transmissível da variante Delta a torna mais difícil de conter, o que gera questionamentos sobre a estratégia de eliminação total do vírus.

Leia mais: Talibã: 7 pontos importantes para entender o grupo extremista

"A escala do risco de contágio e a velocidade com a qual o vírus se espalha é algo que, mesmo com o melhor preparo do mundo, deixou o nosso sistema de saúde em apuros", disse a rede TVNZ.

A elogiada estratégia da Nova Zelândia contra a covid-19, que resultou em apenas 26 mortes entre uma população de cinco milhões, se concentra na eliminação do vírus da comunidade por meio de rigorosos controles de fronteiras e confinamentos totais quando casos são detectados.

No entanto, o surgimento da variante Delta obriga o país a remanejar a estratégia. A Delta "não se parece com nada que já enfrentamos antes nesta pandemia", admitiu Hipkins.

"Muda tudo, significa que todo o nosso preparo existente é menos adequado e surgem grandes dúvidas sobre nossos planos de longo prazo", acrescentou o ministro.

A vizinha Austrália também seguiu uma estratégia de "zero covid" e a propagação da variante Delta gerou frustração entre as autoridades.

O surto na Nova Zelândia chamou a atenção para a lenta campanha de vacinação no país, onde só 20% da população está totalmente vacinada.

Leia mais: Refugiada afegã dá à luz dentro de avião com destino à Alemanha

"A complacência e incapacidade do governo de garantir e entregar a vacina nos deixou expostos, completamente vulneráveis à variante Delta", reclamou Chris Bishop, porta-voz do opositor Partido Nacional.

Hipkins insistiu que a eliminação do vírus ainda é a prioridade diante do surto atual, que acumula 71 casos ativos.

O confinamento nacional deve terminar na terça-feira à noite, embora o ministro tenha afirmado que Auckland poderia ter restrições extras, mesmo que a medida seja levantada em outros lugares.

Últimas