Guerra civil na Síria: veja a cobertura completa
Internacional Novos ataques aéreos matam pelo menos 18 pessoas na Síria

Novos ataques aéreos matam pelo menos 18 pessoas na Síria

Ações teriam sido realizadas por russos em uma região dominada por rebeldes

Novos ataques aéreos matam pelo menos 18 pessoas na Síria

Na terça-feira (4), um ataque com armas químicas matou mais de 80 pessoas na Síria, incluindo 27 crianças

Na terça-feira (4), um ataque com armas químicas matou mais de 80 pessoas na Síria, incluindo 27 crianças

REUTERS/Bassam Khabieh

Novos ataques aéreos mataram pelo menos 18 pessoas, incluindo cinco crianças, em uma cidade na Província síria de Idlib neste sábado (8), informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos e o serviço de resgate da defesa civil.

O número de mortos em Urum al Joz deve aumentar, completou o Observatório.

Os ataques teriam sido realizados por russos em uma região dominada por rebeldes.

A Rússia defende o governo de Bashar al Assad, enquanto os EUA lideram uma coalizão internacional contra o regime.

População síria sofre com ataques em meio ao embate geopolítico entre Rússia e EUA

Chanceler da Rússia conversa sobre Síria com secretário de Estado dos EUA

Mais cedo, outros bombardeios aéreos, supostamente executados pela coalizão contra o EI (Estado Islâmico), haviam matado pelo menos 15 pessoas, incluindo quatro crianças, segundo a Reuters.

O ataque aconteceu em Hanida, a 30 km de Raqqa (cidade no centro sírio), na margem sul do rio Eufrates.

A guerra civil na Síria já dura seis anos e, nesta semana, dois episódios intensificaram o conflito. Na terça-feira (4), houve um ataque com armas químicas contra civis que foi atribuído às tropas do ditador Bashar al Assad.

A ação matou mais de 80 pessoas, 27 delas crianças. O governo sírio, porém, nega ter utilizado armas químicas na ocasião.

Em resposta, o presidente norte-americano Donald Trump autorizou um ataque de mísseis americanos contra uma base área síria na última sexta-feira (7). Nove civis, incluindo quatro crianças, foram mortos.

Assista 24 horas à programação da Record TV