NSA coleta 5 bilhões de dados de celulares por dia no mundo todo

Prática é realizada por meio de cabos que conectam os telefones, além de ligações no exterior

Novos documentos revelados por Snowden demonstram que 5 bilhões de ligações diárias são monitoradas
Novos documentos revelados por Snowden demonstram que 5 bilhões de ligações diárias são monitoradas REUTERS/Maxim Shemetov

A NSA (Agência Nacional de Segurança) dos Estados Unidos compila quase 5 bilhões de registros por dia sobre a localização de telefones celulares no mundo todo, informou na quarta-feira (4) o jornal "Washington Post", citando documentos do ex-técnico da CIA Edward Snowden.

A prática, alimentada com dados de centenas de milhões de dispositivos móveis em escala mundial, permite seguir os movimentos de indivíduos e estabelecer mapas de suas relações através de métodos de análise que o jornal descreve como "ferramentas de vigilância em massa".

"Estamos colhendo amplos volumes" de dados de localização no mundo todo, disse ao Post um alto funcionário da agência, que pediu o anonimato.

A operação é realizada através dos cabos que conectam as redes celulares em nível global, além de seguir a pista dos celulares de dezenas de milhões de americanos que viajam ao exterior com seus telefones cada ano, segundo o "Post".

"Os analistas podem encontrar os celulares em qualquer lugar do mundo, rastrear seus movimentos passados e expor relações ocultas entre os indivíduos que os usam", indicou a publicação.

Robert Litt, assessor geral do Escritório do Diretor de Inteligência Nacional, que supervisiona a NSA, assegurou ao "Post" que o programa é legal e que só se realiza fora dos EUA.

— Nenhum elemento da comunidade de inteligência, apoiando-se em sua autoridade, está colhendo intencionalmente informação a granel sobre a localização de celulares nos Estados Unidos.

A razão pela qual a NSA compila uma quantidade tão grande de dados é porque suas ferramentas analíticas, conhecidas em seu conjunto como CO-TRAVELER, exigem um amplo catálogo de registros para detectar os alvos de inteligência conhecidos.

Para os defensores do direito à privacidade, a coleta de dados sobre localização é especialmente perigosa, porque não pode ser ocultada da mesma maneira como se encripta um e-mail, por exemplo.

"Um dos componentes estratégicos dos dados de localização, e a razão pela qual é tão sensível é que as leis da física não te deixam mantê-la em privado", explicou ao "Post" o chefe de tecnologia da organização União de Liberdades Civis dos EUA (ACLU), Chris Soghoian.

— A única maneira de ocultar tua localização é se desconectar de nosso sistema de comunicação moderno e viver em uma caverna.

Comissão da ONU aprova projeto de Brasil e Alemanha contra espionagem eletrônica excessiva

Corte secreta autorizou que NSA ampliasse espionagem após abusos

Um guia para o debate sobre os limites à espionagem dos EUA

Segundo uma das fontes consultadas pelo diário, a quantidade de registros compilados pela NSA equivale a 27 terabytes, mais que o dobro da gigantesca coleção impressa da Biblioteca do Congresso americano.

"Muitas das bases de dados compartilhadas, como as que se usam para (chamadas ou acordos de) itinerário (roaming), estão disponíveis totalmente para qualquer fornecedor de serviços celulares que solicitar acesso a elas", afirmou o professor de ciência informática na Universidade da Pensilvânia, Matt Blaze.

— Este modelo implica que um número surpreendentemente alto de companhias têm acesso a dados sobre clientes com os quais nunca fazem negócios, e uma agência de inteligência pode conseguir uma "compra rápida" de uma enorme categoria de dados só a colaboração de poucos provedores.