Internacional NY fará desfile em homenagem a trabalhadores essenciais

NY fará desfile em homenagem a trabalhadores essenciais

Grande celebração será realizada no dia 7 de julho no chamado "Canyon dos heróis" para celebrar esforços durante a pandemia

AFP
Anúncio foi feito por Bill de Blasio, prefeito da cidade

Anúncio foi feito por Bill de Blasio, prefeito da cidade

Kena Betancur / AFP

Nova York sediará um grande desfile em 7 de julho em homenagem aos trabalhadores essenciais na pandemia do coronavírus, anunciou o prefeito, Bill de Blasio, nesta segunda-feira (14).

Seguindo a tradição da cidade, o desfile acontecerá no extremo sul da Broadway em Manhattan, um lugar também chamado de Canyon dos Heróis.

A homenagem será prestada ao pessoal médico, mas também aos funcionários municipais, professores, funcionários dos transportes públicos, supermercados e armazéns e entregadores de alimentos.

Trata-se de celebrar “as pessoas que nos mantiveram vivos, que permitiram que esta cidade avançasse apesar de tudo (...) os heróis muitas vezes esquecidos”, explicou de Blasio.

O anúncio do evento ocorre quando 64,8% dos adultos receberam pelo menos uma dose da vacina contra o vírus em Nova York, onde o índice de casos positivos caiu nesta segunda-feira para 0,59% (média dos últimos sete dias), a menor taxa desde que esses dados começaram a ser registrados.

Leia mais: Cidade croata está vendendo casas por menos de R$ 1

Desde o início da pandemia em março de 2019, mais de 33 mil pessoas morreram na cidade de Nova York, antigo epicentro nacional da crise de saúde.

"No ano passado, vivemos literalmente a maior crise da história de Nova York", disse o prefeito. "Nos derrubaram, mas nos levantamos de novo e isso é algo para comemorar nesta cidade".

Os grandes desfiles para marcar ocasiões de grande importância fazem parte da história da cidade. O primeiro ocorreu em 1886, por ocasião da inauguração da Estátua da Liberdade.

Enquanto o desfile passava pelo distrito financeiro de Wall Street, os corretores da bolsa jogavam pedaços de papel das janelas nas quais estavam inscritos os preços das ações.

Foi uma espécie de chuva de confete que desde então se tornou tradição nos desfiles subsequentes para homenagear chefes de Estado e de governo, dignitários religiosos, líderes militares, atletas e celebridades.

Últimas