Novo Coronavírus

Internacional NY não contabilizou milhares de vítimas de covid-19, diz relatório

NY não contabilizou milhares de vítimas de covid-19, diz relatório

Procuradora-geral afirma que número de vítimas fatais em asilos no estado pode superar em 50% os registros oficiais

  • Internacional | Da EFE

Relatório afirma que número de vítimas fatais em NY é muito superior aos registros oficiais

Relatório afirma que número de vítimas fatais em NY é muito superior aos registros oficiais

U.S. Army/Spc. Nathan Hammack via Reuters -11.4.2020

O estado de Nova York não contabilizou milhares de mortes por covid-19 registradas em asilos, que poderiam ser até 50% a mais que as oficiais, segundo relatório apresentado nesta quinta-feira pela procuradora-geral, Letitia James.

O governo estadual contabiliza mais de 8,5 mil mortes em asilos, mas a investigação de James sugere que o número poderia na realidade ser muito maior e denuncia que várias dessas instalações não cumpriram as medidas básicas para conter as infecções.

"Embora não possamos trazer de volta aqueles que perdemos nesta crise, este relatório busca oferecer a transparência que o público merece e estimular mais ações para proteger nossos residentes mais vulneráveis", disse a procuradora-geral em um comunicado.

Quase desde o início da pandemia, algumas vozes acusaram o governador de Nova York, Andrew Cuomo, de ter agravado a crise nos lares de idosos com algumas medidas, como uma diretriz de março que ordenou que esses estabelecimentos aceitassem pacientes positivos para o novo coronavírus.

Cuomo sempre negou essa responsabilidade, mas o relatório de James - democrata assim como o governador - mais uma vez põe lenha na fogueira.

Após receber denúncias, a Procuradoria-Geral investigou a situação em mais de 20 asilos no estado e, de acordo com suas primeiras conclusões, parece claro que mais pessoas morreram nesses estabelecimentos por covid-19 do que aquelas que constam na contagem oficial.

O principal fator parece ser que o estado de Nova York não contabilizou como casos em asilos os de muitos residentes que acabaram morrendo em hospitais, embora o relatório também sugira que em alguns casos nem todos os óbitos ocorridos nos próprios centros foram incluídos.

A investigação conclui que o número oficial de mortes de residentes de lares de idosos parece ser cerca de 50% inferior ao número real, com base em uma extrapolação de dados de 62 residências (10% do total do estado).

O relatório, em qualquer caso, não aumenta o número total de mortes em Nova York, uma vez que estas mortes são consideradas como incluídas na contagem geral, mesmo que não tenham sido atribuídas a asilos.

De acordo com a contagem independente da Universidade Johns Hopkins, pelo menos 42.887 pessoas morreram por covid-19 até agora em Nova York, enquanto os números do governo estadual - que levam em conta apenas os casos confirmados - colocando o saldo em quase 35 mil.

Nova York, que foi o principal epicentro do coronavírus nos EUA na última primavera (no hemisfério norte), é o estado com mais mortes, seguido pela Califórnia e Texas com 38.828 e 35.889 óbitos, respectivamente, de acordo com Johns Hopkins.

A investigação da Procuradoria-Geral também denuncia que alguns centros não cumpriram adequadamente as medidas básicas para conter as infecções, não isolando adequadamente os doentes, não testando os funcionários ou forçando os empregados positivos a continuar a trabalhar.

Últimas