Brexit: Reino Unido fora da União Europeia
Internacional O que acontece a partir de agora com o Brexit?

O que acontece a partir de agora com o Brexit?

Como fica o divórcio entre Reino Unido e União Europeia com mais uma votação fracassada de alternativas no Parlamento britânico

O que acontece a partir de agora com o Brexit?

Unidade de gravação do Parlamento via EFE / 1.4.2019

A Câmara dos Comuns do Reino Unido não conseguiu entrar em acordo nesta segunda-feira (1º) sobre quatro possíveis alternativas para o Brexit, que visavam substituir o acordo apresentado pela primeira-ministra do país, Theresa May.

Os parlamentares britânicos rejeitaram um Brexit que incluísse uma união aduaneira com a União Europeia (UE), a opção de um afastamento mais suave do bloco, ao estilo da Noruega, a revogação do Brexit caso não haja acordo e a convocação de um referendo para avaliação de qualquer pacto que passe pela Câmara dos Comuns.

Diante do impasse, estes são a partir de agora os possíveis cenários do Brexit:

— O parlamento pode voltar a se pronunciar pela terceira vez sobre uma série de possíveis "votos indicativos" para encontrar uma via de consenso no processo.

— A premiê submete novamente à votação o tratado firmado por ela na Câmara dos Comuns. A proposta foi rejeitada pela terceira vez na última sexta-feira por uma margem de 58 votos. Caso o acordo fosse aprovado, o Reino Unido sairia do bloco de forma ordenada no próximo dia 22 de maio.

Se o Parlamento rejeitar o pacto estipulado entre May e UE, como também já fez em janeiro por uma margem de 230 votos e em 12 de março por 149, abrem-se três possíveis opções:

— Saída abrupta em 12 de abril: Se nem o governo nem o parlamento conseguirem elaborar uma via alternativa para apresentar à UE para justificar uma prorrogação em outra sessão de votos "indicativos".

— Convocar um segundo referendo: Diante do embróglio, outra consulta popular do Brexit poderia ser realizada. No entanto, a proposta parece pouco provável por contar com a oposição de May.

— Convocação de eleições gerais: A primeira-ministra poderia, em último caso, e por não conseguir avançar no Brexit, convocar eleições antecipadas no país, sendo esta a opção preferida pelo Partido Trabalhista, o principal de oposição a May.

Em todo caso, as duas últimas opções exigem que a UE permita adiar ainda mais a data do Brexit para dar tempo para a realização desse hipotetico referendo e para a convocação de eleições.

No próximo 10, o Conselho Europeu realiza uma cúpula na qual o Reino Unido deverá expor como procederá. O dia 12 de abril é a data limite para que o Reino Unido esclareça se participará ou não nas eleições europeias de maio.