Internacional Ômicron: Itália amplia exigência de passaporte sanitário por variante

Ômicron: Itália amplia exigência de passaporte sanitário por variante

Cidadãos do país começarão a apresentar comprovante vacinal em locais como hotéis, academias e em transportes públicos

AFP
Itália tem mais de 600 mil casos ativos de Covid-19

Itália tem mais de 600 mil casos ativos de Covid-19

Filippo Monteforte/AFP - 23.12.2021

O governo italiano informou nesta quarta-feira (29) que ampliará a vigência do passaporte de vacinação para transportes, hotéis, áreas externas, congressos, piscinas e academias, a fim de tentar conter o aumento dos casos de Covid-19 por causa da variante Ômicron.

A medida entrará em vigor no dia 10 de janeiro, segundo o decreto-lei que "introduz medidas urgentes para conter a propagação da epidemia de Covid-19", aprovado em um conselho de ministros presidido por Mario Draghi.

Até agora, para viajar de trem e avião bastava a apresentação de um passaporte sanitário "básico", que poderia ser obtido com um teste negativo. Já o passaporte vacinal, chamado na Itália de "passaporte sanitário reforçado", só pode ser obtido com o esquema de vacinação completo, ou se a pessoa tiver se curado da Covid-19.

O governo também decidiu suprimir a quarentena de dez dias para vacinados ou curados de Covid que tiveram contato com algum caso positivo. Já os não vacinados terão que seguir cumprindo os 10 dias.

A flexibilização das regras de quarentena tem como objetivo evitar a paralisação de certos setores, como o de transportes, no qual o grande número de funcionários em quarentena levou ao cancelamento de muitas viagens de trem.

Nesta quarta-feira, a Itália registrou 98.020 novos contágios de Covid e contabilizava mais de 600 mil casos ativos da doença.

Últimas