OMS desmente EUA e diz que novo coronavírus tem origem animal

Organização diz que governo norte-americano não forneceu nenhuma prova de que o vírus teria tido origem em um laboratório na China

OMS diz que coronavírus não se originou em laboratório, como dizem os EUA

OMS diz que coronavírus não se originou em laboratório, como dizem os EUA

Etienne Laurent / EFE - EPA - 4.5.2020

A Organização Mundial de Saúde (OMS) rechaçou nesta segunda-feira (4) as notícias de que o novo coronavírus foi criado em um laboratório de Wuhan, na China, como defende a cúpula do governo dos Estados Unidos, e confirmou a origem animal do causador da Covid-19.

"Circula de forma ancestral entre os morcegos. É algo que sabemos nos baseando na sequência genética desse vírus. O que precisamos entender é que animal atuou como intermediário, ou seja, qual foi infectado pelos morcegos e transmitiu ao homem", afirmou a chefe do Departamento de Doenças Emergentes da OMS, Maria Van Kerkhove.

Leia também: EUA: Diretor de inteligência diz que coronavírus não é 'criação humana'

O presidente dos EUA, Donald Trump, já afirmou publicamente que o SARS CoV-2, nome científico do novo coronavírus, foi criado artificialmente em Wuhan. Ontem, em entrevista, o secretário de Estado do país, Mike Pompeo, repetiu a mesma versão.

"De todas as evidências que vimos em todas as sequências genéticas que estão disponíveis, e acredito que há mais de 15 mil, este vírus tem uma origem natural", confirmou Van Kerkhove, que concedeu hoje entrevista coletiva virtual.

Sem evidências

O diretor-executivo da OMS para Emergências Sanitárias, Mike Ryan, ainda informou que os Estados Unidos não compartilharam qualquer informação sobre a suposta criação artificial do coronavírus, embora, Pompeo tenha afirmado ontem que existem "inúmeras provas" disso.

"Da nossa perspectiva, isso é só especulação. Como qualquer organização que se baseia em evidências, gostaríamos muito de receber qualquer informação relativa a origem do vírus", explicou o representante da OMS.