Internacional OMS pede a mães que tiveram covid-19 seguirem amamentando

OMS pede a mães que tiveram covid-19 seguirem amamentando

Tedros Adhanom, diretor-geral da ONU, fez apelo ao defender que 'benefícios de oferecer o peito superam qualquer possível risco de transmissão'

  • Internacional | Do R7

Tedros Adhanom pediu a mães que tiveram covid-19 não deixarem de amamentar

Tedros Adhanom pediu a mães que tiveram covid-19 não deixarem de amamentar

Reprodução/YouTube/World Health Organization (WHO)

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez um apelo para que as mães que já tenham contraído a Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, a não ser que apresentem sintomas, sigam amamentando os filhos.

"Os benefícios de oferecer o peito superam qualquer possível risco de transmissão da covid-19", afirmou o líder da agência, em entrevista coletiva.

O assessor da OMS para saúde reprodutiva, Anshu Banerjee, acrescentou na mesma conferência de imprensa que as pesquisas médicas, por enquanto, só encontraram coronavírus não ativos em análises do leite materno de mães afetadas pela doença.

A Organização Mundial de Saúde publicou na semana passada recomendações para amamentar de forma seguro, no caso de contrair a covid-19, que incluem o uso de máscara facial por parte da mãe.

Além disso, a OMS também lembrou do colapso que a pandemia causou nas redes de saúde de diversos países, nos serviços de atenção às mulheres grávidas e recém-nascidos.

Os programas de auxílio reprodutivo, por exemplo, afetariam cerca de 47 milhões de mulheres no planeta, que perdem o apoio para métodos de planejamento familiar, o que pode resultar em sete milhões de grávidas que não desejavam ter filhos neste momento.

Pandemia aumenta demanda por desinfecção de espaços públicos

Últimas