Coronavírus

Internacional Oposição britânica pede saída de ministro que teve caso revelado

Oposição britânica pede saída de ministro que teve caso revelado

Foto publicada no tabloide The Sun mostra Matt Hancock aos beijos com sua assessora enquanto nova cepa devastava o país

Em nota à imprensa, Hancock pediu desculpas e admitiu que "decepcionou as pessoas"

Em nota à imprensa, Hancock pediu desculpas e admitiu que "decepcionou as pessoas"

Alkis Konstantinidis/ Reuters - 2.4.2019

A principal legenda opositora do Reino Unido, o Partido Trabalhista, solicitou nesta sexta-feira (25) a renúncia do ministro da Saúde, Matt Hancock, por "abuso de poder" e "conflito de interesses", após ter sido revelado que o político mantinha uma relação extraconjugal com uma assessora a quem contratou com recursos públicos.

Hancock virou centro de um escândalo hoje depois que o tablóide The Sun publicou em sua capa uma foto do ministro abraçando e beijando sua assessora, Gina Coladangelo, no momento em que a nova variante Delta devastava o Reino Unido no último mês de maio e a população era solicitada a manter distanciamento social.

Em nota à imprensa, o ministro britânico pediu desculpas por não respeitar o distanciamento e admitiu que "decepcionou as pessoas".

"Continuo focado em trabalhar para tirar este país desta pandemia e gostaria de ter privacidade para minha família em questões pessoais", acrescentou o comunicado de Hancock.

Por sua vez, um porta-voz da residência oficial de Downing Street disse nesta sexta-feira que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, aceitou o pedido de desculpas de Hancock por quebrar as regras sobre distanciamento social e que considera o assunto "encerrado".

A fonte oficial destacou ainda que o chefe do governo confia em seu ministro da Saúde.

Em declarações a jornalistas, a presidente honorária do Trabalhismo, Anneliese Dodds, opinou que as atitudes de Hancock deveriam provocar sua saída do governo britânico.

"Se Matt Hancock teve um relacionamento secreto com sua assessora em seu escritório, que ele pessoalmente nomeou para uma posição financiada pelo contribuinte, é um claro abuso de poder e conflito de interesses", destacou.

"Sua posição é completamente insustentável. Boris Johnson deveria demiti-lo", acrescentou.

Hancock, casado há 15 anos, foi flagrado pelas câmeras de segurança de seu gabinete na tarde de 6 de maio, dia em que o parlamento estava concentrado nas eleições locais.

"Ele a colocou em um papel tão importante, financiado com recursos públicos, e isso é o que eles fazem no horário de expediente, quando todos estão trabalhando duro", disse um funcionário ao "The Sun", que garantiu que o casal já havia sido flagrado antes.

Essa acusação vem no pior momento político para Hancock, que passou por várias crises recentemente, como os vazamentos de uma mensagem de Johnson chamando-o de "inútil" e de um vídeo em que a própria rainha Elizabeth 2ª se referia a ele como "pobre homem".

A posição de Hancock como Ministro da Saúde "está por um fio", de acordo com o "The Sun", já que ele foi anteriormente acusado de mentir sobre a gestão da pandemia; e até de malversação de dinheiro público, já que seu ex-vizinho ganhou um contrato milionário para fazer testes de covid-19, apesar de não ter experiência.

Últimas