Panamá autoriza passagem de navio com passageiros com covid-19

Ontem (28), a companhia proprietária do navio disse que quatro adultos a bordo morreram e que duas pessoas testaram positivo para coronavírus

O Zandaam navegava no oceano Pacífico com 1.243 passageiros e 586 tripulantes

O Zandaam navegava no oceano Pacífico com 1.243 passageiros e 586 tripulantes

Carlos Lemos / EFE -27.03.2020

O Panamá anunciou neste sábado (28) que autorizou a passagem do navio de cruzeiro Zandaam pelo Canal do Panamá. Em meio ao confinamento total de seus passageiros, quatro pessoas morreram. Dois dos quais testaram positivo para a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O Zandaam, que navegava no oceano Pacífico com 1.243 passageiros e 586 tripulantes, havia tido o pedido de passagem pelo canal negado na sexta-feira (27) pelo Ministério da Saúde panamenho.

"Será permitido transitar pela rota interoceânica", disse o Ministério em comunicado no qual esclareceu que o navio continuará "sua viagem para os Estados Unidos".

Por sua vez, a direção do Canal do Panamá informou que depois de "receber a autorização do Ministério da Saúde para permitir o trânsito (do navio) por razões humanitárias (...), prepara-se para receber o navio nas águas da via interoceânica".

"(O Zaandam), de acordo com o itinerário, foi reservado para o trânsito pela via navegável no dia 1º de abril. O trânsito pelo Canal do Panamá economizará dois dias para ele chegar a seu destino na Flórida, em comparação com as outras alternativas que haviam sido consideradas", acrescentou a direção do Canal.

O cruzeiro deixou Buenos Aires (Argentina) no dia 7 de março e estava navegando ao longo do Pacífico rumo a Port Everglades, no estado da Flórida (EUA) com todos os passageiros isolados e sem a possibilidade de desembarcar, porque um grupo de pessoas a bordo apresentava sintomas semelhantes aos da gripe.

Ontem (28), a companhia proprietária do navio disse que quatro adultos a bordo morreram e que duas pessoas testaram positivo para coronavírus, e anunciou a transferência de passageiros que não tinham ficado doentes para outro de seus navios, o Rotterdam, que chegou às águas panamenhas ainda ontem.

"Levando em conta a situação de saúde dos passageiros do Zaandam, foi considerado (...) reavaliar esta medida (de negar o trânsito pelo Canal), com base na regulamentação sanitária e no novo contexto de risco para as pessoas a bordo e a necessidade de lhes prestar ajuda humanitária para chegar ao país de origem", anunciou neste sábado o Ministério da Saúde.

A passagem do Zandaam, que acontecerá em uma data a ser divulgada, "será realizada em coordenação com as entidades envolvidas e considerando todos os protocolos de biossegurança", segundo as autoridades panamenhas.