Pandemia é mais um obstáculo na restauração de Notre Dame 

Um ano após incêndio que arrasou séculos de história, um dos principais monumentos de Paris segue longe de estar pronto para sua reabertura

Restauração de Notre Dame está suspensa durante quarentena contra a covid-19

Restauração de Notre Dame está suspensa durante quarentena contra a covid-19

Yoan Valat / EFE-EPA - 14.4.2020

Oito séculos de história foram suspensos quando, em 15 de abril de 2019, um incêndio derrubou a torre de Notre Dame e sua cobertura. Um ano depois, a França persiste em seu objetivo de reabrir a catedral em 2024, embora o coronavírus mantenha as obras paralisadas.

As cercas que cercam o templo parisiense, o guindaste imóvel e os andaimes que vigiam sua estrutura são um reflexo daquela tarde fatídica, e a origem das chamas ainda não foi esclarecida.

O progresso da investigação e da restauração tem sido determinado pela pandemia que colocou o mundo em hibernação.

Embora a investigação judicial continue nas mãos da Brigada Criminal, a análise técnica foi interrompida quando, em 16 de março, os trabalhos foram suspensos até novo aviso pelas precauções de saúde.

Obras paradas e risco de colapso

Notre Dame estava restaurando a agulha erguida por Viollet-le-Duc no século 19, quando o incêndio estourou, e o desabamento dos andaimes queimados, que foram reduzidos a uma confusão de ferros, é a chave para poder acessar e desvendar o incidente.

Esse trabalho delicado começaria em 23 de março, mas, por enquanto, reina a calma em torno do monumento gótico, desprovido de parisienses e turistas devido ao confinamento na França.

Também estava em andamento a remoção da madeira queimada na parte de trás das abóbadas, necessária para verificar o estado da argamassa que garante a união entre as pedras e para saber como as juntas resistiram aos eventos climáticos nesse último ano.

Até que as duas operações sejam concluídas, o estabelecimento público encarregado de sua conservação e restauração não desconsidera o perigo de colapso.

No momento, o comitê científico criado em abril para coordenar especialistas de diferentes áreas e aconselhar as autoridades ainda está na fase de diagnóstico.

Ele deveria entregar suas conclusões parciais em junho e o saldo total em setembro ou outubro, mas esse calendário também foi afetado, explica Almería, um dos coordenadores desse "conselho de sábios" que reúne 50 equipes.

O historiador teve o privilégio de entrar na catedral logo após o incêndio.

"Foi bastante assustador ver pedaços de madeira e pedra carbonizados e o grande buraco no teto, mas ao mesmo tempo nos dissemos que havíamos escapado do pior, porque a estrutura que segurava a agulha havia sido salva e os vitrais e as obras de arte também estavam intactos", contou.

Restauração custará bilhões

Notre Dame ainda estava fumegando quando começaram a aparecer promessas de doações, tanto de instituições quanto das maiores fortunas do país. As quatro fundações encarregadas de arrecadar fundos confirmaram o recebimento de mais de 900 milhões de euros (cerca de R$ 5 bilhões).

Chumbo do teto de Notre Dame derreteu e contaminou a área que precisa de restauração

Chumbo do teto de Notre Dame derreteu e contaminou a área que precisa de restauração

Christophe Petit Tesson/Pool via REUTERS - 16.4.2019

Mas o custo da restauração e o coronavírus não foram os únicos obstáculos até o momento: o fogo derreteu grande parte das 1.326 placas de chumbo que cobriam o teto e espalharam o metal ao redor dele na forma de partículas perigosas para a saúde.

A laboriosa descontaminação da área com técnicas de alta pressão ou aspiração paralisou as obras do final de julho a meados de agosto, e os fortes ventos no outono e inverno impediram a continuidade do trabalho.

Ainda é muito cedo para que os cientistas proponham um possível roteiro que deve ser aprovado pela Comissão Nacional de Patrimônio e Arquitetura, e o debate sobre se a reconstrução deve ser fiel ao modelo original ou destacar as tecnologias está longe de terminar.

Mas, uma vez validados os projetos, de acordo com Magnien, o progresso pode ser rápido.

O suficiente para encerrar esta fase em 2024? "Depende do que se entende por reabrir a catedral. Se é para reabri-la ao público, para adorar, pode ser viável, mas suas grandes estruturas não serão necessariamente concluídas nessa data. É muito difícil saber", explicou o especialista.

Porém, nem tudo foi negativo: a análise dos destroços transformou a catedral em uma espécie de "sítio arqueológico", algo único para os pesquisadores, e a limpeza do chumbo chegou a cantos há muito esquecidos, então sua reabertura apresentará um templo muito mais brilhante.

EM VÍDEO: Um ano após incêndio, Notre Dame ainda está longe de reabrir

_