Internacional Papa Francisco fala que viverá por mais "dois ou três anos" e não descarta aposentadoria

Papa Francisco fala que viverá por mais "dois ou três anos" e não descarta aposentadoria

O líder da igreja católica disse ter um "problema de nervos" que requer tratamento

Papa Francisco fala que viverá por mais "dois ou três anos" e não descarta aposentadoria

O papa conversou com jornalistas durante viagem de volta da Coreia do Sul

O papa conversou com jornalistas durante viagem de volta da Coreia do Sul

EFE

Durante o voo de volta da Coreia do Sul, onde esteve por cinco dias, o papa Francisco falou pela primeira vez de sua morte. Acompanhado por jornalistas, o líder da igreja católica disse que acreditava ter mais “dois ou três” anos de vida e que não descartava se aposentar antes disso.

A declaração surgiu ao ser questionado pelos repórteres sobre sua popularidade global, que ficou evidente na viagem à Coreia do Sul.

— Vejo isso como uma generosidade do povo de Deus. Tento pensar nos meus pecados, nos meus erros e não ficar orgulhoso. Porque eu sei que durará pouco tempo. Dois ou três anos e irei para a casa do Pai.

Segundo o papa, há 60 anos a aposentaria era algo praticamente inédito para os altos cargos da igreja católica, mas, hoje em dia, pode ser considerado algo comum. "Bento 16 abriu a porta", acrescentou.

O papa declarou ter “um problema de nervos”, que precisa de acompanhamento constante. Para ele, a aposentaria seria uma possibilidade, "mesmo não agradando alguns teólogos". Seu antecessor, Bento XVI, renunciou ao papado em 2013 ao sentir que não poderia mais desempenhar bem suas funções.

Três parentes do papa Francisco morrem em acidente em Córdoba

Mulher condenada à morte por se tornar cristã deixa Sudão e é recebida pelo papa