Internacional Para Biden, retirada é 'uma das maiores e mais difíceis da história'

Para Biden, retirada é 'uma das maiores e mais difíceis da história'

Segundo presidente dos EUA, mais de 5,4 mil pessoas deixaram o Afeganistão em aeronaves norte-americanas nas últimas 24 horas

Biden fez seu segundo pronunciamento sobre a crise no Afeganistão

Biden fez seu segundo pronunciamento sobre a crise no Afeganistão

Anna Moneymaker / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, realizou nesta sexta-feira (20) o segundo pronunciamento em relação às ações norte-americanas no Afeganistão após o Talibã assumir o poder no país asiático.

Segundo ele, a operação para retirada de civis é "uma das maiores e mais difíceis da história". Biden falou sobre as complexidades do esforço de transportar cidadãos norte-americanos que estão no Afeganistão e também de afegãos que estão buscando fugir do país após colaborarem durante a intervenção norte-americana.

Leia mais: Unesco cobra Talibã que garanta segurança de jornalistas

"Já evacuamos 5.400 pessoas nas últimas 24 horas e estamos buscando verificar o número de americanos que ainda estão no Afeganistão, porque ainda não sabemos a quantidade exata", afirmou. Segundo a Casa Branca, mais de 13 mil pessoas foram retiradas do Afeganistão por aeronaves norte-americanas desde o último sábado (14).

De acordo com o presidente dos EUA, também estão sendo feitos esforços junto à Otan para facilitar a realização de voos de países aliados para retirar civis que estão no aeroporto de Cabul.

"Faremos todo o possível para realizar uma evacuação segura dos afegãos que possam estar em perigo por conta da sua associação com os Estados Unidos."

As autoridades norte-americanas seguem em contato constante com membros do Talibã para que civis tenham uma passagem segura até o aeroporto de Cabul, segundo Biden. O presidente ressaltou também que qualquer tentativa do grupo extremista de realizar algum ataque será respondida imediatamente.

Leia mais: Um em cada três afegãos sofre insegurança alimentar

Outro assunto abordado no pronunciamento foram os esforços realizados de maneira conjunta entre os Estados Unidos, França, Reino Unido e Alemanha para agir no país asiático. Biden afirmou que conversou nos últimos dias com Angela Merkel, Angela Merkel e Boris Johnson sobre a convocação de uma reunião do G7 para tratar da abordagem a ser seguida no Afeganistão. 

"Chegamos juntos, vamos sair juntos e estamos trabalhando juntos para trazer nossas pessoas e parceiros afegãos com segurança."

Ele também disse que haverá momento para críticas depois que a operação for concluída. "Vamos ter tempo suficiente para criticar e repensar quando tudo acabar, mas agora eu estou focado em terminar o trabalho", afirmou.

Últimas