Coronavírus

Internacional Paraguai começará a aplicar vacinas na maior prisão do país

Paraguai começará a aplicar vacinas na maior prisão do país

Penitenciária de Tacumbú já vacinou 653 pessoas divididas entre idosos e mulheres grávidas maiores de 18 anos

Agência EFE
Prisão de Tacumbú já vacinou idosos e mulheres grávidas

Prisão de Tacumbú já vacinou idosos e mulheres grávidas

EFE/Nathalia Aguilar

A ministra da Justiça do Paraguai, Cecilia Pérez, anunciou nesta terça-feira (27) que terá início nesta semana a vacinação contra a covid-19 na prisão de Tacumbú, a maior do país, localizada em Assunção.

O Ministério da Justiça já tem 1.024 funcionários vacinados, incluindo agentes penitenciários, pessoal administrativo e de saúde, além de 653 detentos imunizados, incluindo homens, mulheres e alguns adolescentes, de acordo com dados fornecidos por Pérez.

A ministra se reuniu nesta terça-feira com o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, no Palácio do Governo, para informá-lo sobre o progresso da imunização nas cadeias do país.

"O processo de vacinação em Tacumbú está começando nesta semana. O processo de registro nas prisões do interior está avançando nesta semana a fim de coordenar o mais rápido possível com as regiões sanitárias", afirmou Pérez à imprensa após a reunião com o presidente.

A chefe da pasta da Saúde detalhou que a vacinação em Tacumbú requer trabalho logístico, devido à superlotação do local. As 653 pessoas do sistema penitenciário que já receberam suas doses são idosos, mulheres grávidas acima de 18 anos com mais de 20 semanas de gestação e pessoas com comorbidades.

O Ministério da Justiça começou a vacinar os detentos em 6 de junho, com a imunização de pessoas maiores de 55 anos nas prisões de Villarrica, Coronel Oviedo e outros lugares, de acordo com uma nota oficial emitida pelo Ministério nesta terça.

Últimas