Parisienses recorrem a bicicletas para escapar do coronavírus

Paris busca incentivar um meio de transporte mais seguro na tentativa de impedir a propagação da covid-19

Parisienses estão comprando bicicletas novas ou usando as antigas

Parisienses estão comprando bicicletas novas ou usando as antigas

Charles Platiau/Reuters - 06.05.2020

Os parisienses estão comprando bicicletas novas ou levando as antigas para oficinas na tentativa de evitar metrô e ônibus lotados e minimizar o risco de infecção pelo novo coronavírus.

Como em outras cidades do mundo, as autoridades de Paris buscam incentivar um meio de transporte mais seguro e ambientalmente amigável enquanto tentam impedir a propagação da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, que até agora matou mais de 27.000 pessoas em toda a França.

"É claramente impossível respeitar as medidas de segurança do distanciamento social (no transporte público)", disse Claire Bouvet, que levou uma bicicleta que não usava há 10 anos para consertar.

"É melhor pedalar e respirar ar fresco do que ficar trancado nos sistemas de transporte subterrâneo ou no trem", acrescentou a gerente de mídia social.

Ciclovias

Paris já tinha mais de 1.000 quilômetros de ciclovias antes da chegada do vírus.

A prefeita Anne Hidalgo, que faz campanha contra o uso de carros na capital francesa desde que assumiu a prefeitura em 2014, adicionou 50 quilômetros provisórios de ciclovias nas últimas semanas, buscando capitalizar o clima de mudança na população.