Novo Coronavírus

Internacional Pequim aumenta tempo obrigatório de isolamento para viajantes

Pequim aumenta tempo obrigatório de isolamento para viajantes

Agora, chineses retornando ao país nata terão que passar 3 semanas em quarentena. País ainda não abriu fronteira para estrangeiros por segurança

  • Internacional | Da EFE

China aumenta para três semanas período de isolamento

China aumenta para três semanas período de isolamento

Thomas Peter/Reuters - 19.4.2020

O governo de Pequim, na China, anunciou nesta quarta-feira (22) que as pessoas vindas do exterior deverão ficar três semanas em isolamento, uma a mais do que o determinado anteriormente, como meio de evitar a propagação do novo coronavírus.

A medida é válida, basicamente, para cidadãos chineses que retornem à capital, já que os estrangeiros - com exceções para diplomatas, pessoas ligadas ao comércio internacional e à pesquisa médica - estão com entrada proibida na cidade.

Até o momento, as normas mais recentes impostas em Pequim, obrigavam que os provenientes do exterior ficassem 14 dias em um hotel ou em outro lugar designado pelas autoridades locais. Residentes na capital, por sua vez, tinham a opção de passar pelo período de confinamento na própria casa.

A medida aponta para um acirramento das medidas de prevenção anunciadas pela China, na nova etapa do combate à covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, já que, depois do aparente controle no nível local, espera-se impedir a importação de casos de outros países.

Contágio depois do isolamento

Recentemente, um estudante proveniente dos Estados Unidos, ao retornar para o país na cidade de Chaoyang, contagiou três integrantes da própria família, mesmo depois de passar duas semanas confinado em um hotel e de dar negativo em testes de diagnóstico no fim do período.

Outras 62 pessoas que tiveram algum contato com esse jovem e com os familiares dele, foram colocados com regime de isolamento, sob observação médica.

Na mesma região, também foi registrado o caso de uma mulher, que veio de Pequim após passar por Londres, no Reino Unido, e deu positivo para o novo coronavírus. Ela apresentou sintomas durante a quarentena, mas se automedicou e não informou os funcionários do centro aonde ficou alojada durante o período.

A China, de acordo com a contabilização feita pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, registrou 83.864 casos de infecção pelo novo coronavírus, e 4.636 mortes, a grande maioria na cidade de Wuhan, onde surgiu a Covid-19.

Últimas