Coronavírus

Internacional Peru, Bolívia e Chile fecham fronteiras para conter pandemia

Peru, Bolívia e Chile fecham fronteiras para conter pandemia

Países tentam conter a covid-19 e buscam barrar a entrada de pessoas infectadas com novas variantes do coronavírus

Países da América Latina tentam barrar a entrada de novas variantes do coronavírus

Países da América Latina tentam barrar a entrada de novas variantes do coronavírus

Pixabay

Peru, Bolívia e Chile anunciaram nesta quinta-feira (1°) que vão fechar as fronteiras para tentar conter o número de casos de covid-19. Os governos querem evitar que pessoas contaminadas com novas cepas do coronavírus, como a variante brasileira, entrem no país.

O Peru manterá suspensos os voos comerciais com o Brasil, Reino Unido e África do Sul, onde foi registrado o surto de novas variantes do coronavírus, até pelo menos meados de abril.

As rotas aéreas regulares com o Brasil chegaram a ser reativadas em outubro do ano passado, mas foram novamente suspensas em 1º de fevereiro deste ano, diante da segunda onda de infecções por aqui.

O Peru está no meio da segunda onda de infecções por coronavírus e acumulou desde março de 2020 mais de 1,5 milhão de casos e 52 mil mortes por covid-19.

A Bolívia ordenou o fechamento preventivo de sua fronteira com o Brasil a partir de sexta-feira (2) por uma semana, para proteger sua população diante da eventual circulação de uma nova variante da covid-19.

O governo ainda não comunicou quais medidas específicas serão aplicadas para as viagens aéreas. Até agora, cada pessoa que entra no país deve apresentar um resultado negativo.

La Paz ordenou no início da semana a aceleração da campanha de vacinação em cidades na fronteira com o Brasil, por temor de que uma nova variante da doença possa estar circulando. O país de 11,5 milhões de habitantes acumula 272.411 casos e 12.257 óbitos causados pela covid-19.

O governo do Chile também anunciou que fechará novamente suas fronteiras ao longo do mês de abril após o país bater recordes diários e ter ultrapassando um milhão de casos desde o início da pandemia.

As viagens ao exterior serão restritas ao longo deste mês tanto para chilenos como para estrangeiros residentes no país e só serão permitidas através de uma autorização extraordinária por razões humanitárias urgentes e qualificadas, tratamentos de saúde ou providências essenciais para o bom funcionamento do país.

O governo chileno decretou também toque de recolher em todo o país a partir da próxima segunda-feira (5), das 21h às 5h.

Apesar do Chile estar realizando um dos processos de vacinação mais rápidos e bem-sucedidos do mundo, com quase 6,8 milhões de pessoas imunizadas, sendo o terceiro país com a maior porcentagem de população vacinada, a disseminação do vírus ainda não foi controlada e o país sofre com a segunda onda da doença. 

Últimas