Coronavírus

Internacional Peru espera ter 50% da população adulta vacinada até o fim deste mês

Peru espera ter 50% da população adulta vacinada até o fim deste mês

Ministério da Saúde local afirma que 8,46 milhões de peruanos já receberam as duas doses do imunizante contra a covid-19

Agência EFE
Peru soma quase 200 mil mortes pela covid-19

Peru soma quase 200 mil mortes pela covid-19

Ernesto Benavides/AFP - 28.4.2021

As autoridades sanitárias do Peru esperam ter cerca de metade da população com mais de 18 anos vacinada contra a covid-19 até o fim deste mês, afirmou o ministro da Saúde, Hernando Cevalloas, neste sábado (4).

O país andino, que registra quase 200 mil mortes e 2,15 milhões de casos de coronavírus desde o início da pandemia, planeja vacinar mais de 24 milhões de adultos ainda neste ano, bem como as pessoas em risco a partir dos 12 anos de idade.

De acordo com o último relatório do Ministério da Saúde, 19,2 milhões de vacinas dos laboratórios Pfizer, Sinopharm e AstraZeneca foram administradas até agora, e 8,46 milhões de pessoas já receberam as duas doses.

Aceleração.

Durante o início da sétima campanha de vacinação em massa, Cevallos disse que o processo está sendo acelerado, graças à chegada de lotes maiores de vacinas e diante de uma eventual terceira onda da epidemia no Peru, que atualmente enfrenta um acentuado declínio no impacto da doença.

As autoridades consideram que a nova onda poderia começar no final de setembro, o que afetaria principalmente uma grande parte da população que ainda não foi vacinada.

"Não só vamos manter esses dias de vacinação extensiva, mas também estamos coordenando com as regiões para que diferentes estabelecimentos de saúde funcionem por mais horas. Isso permitiria que muitos cidadãos, que têm que trabalhar e não podem viajar para os centros de vacinação, sejam vacinados em locais próximos a suas casas", destacou o ministro da Saúde.

Variante MU

O ministro também destacou que 86 pessoas foram identificadas como infectadas com a variante MU, mas ressaltou que até agora não há estudos para determinar se a cepa é mais transmissível ou mais grave. Contudo, ele apontou a mutação como um motivo extra para as pessoas se vacinarem.

Nesta sexta-feira, o infectologista Lely Solari, do Instituto Nacional de Saúde (INS), explicou que a variante MUnão está tendo um crescimento significativo em território peruano. As cepas dominantes são a gama, a lambda e a delta.

O primeiro caso da variante MU ocorreu em 12 de maio na região de Moquegua e atingiu um pico de 37 casos em julho passado. O último relatório do Ministério da Saúde declarou que 563 casos de Covid-19 e 27 mortes causadas pela doença foram relatados nas últimas 24 horas no país, enquanto outras 3.724 pessoas permanecem internadas, das quais 1.210 em unidades de terapia intensiva.

Últimas