Internacional Pistola real que parece brinquedo causa polêmica nos EUA

Pistola real que parece brinquedo causa polêmica nos EUA

Arma verdadeira coberta com peças que lembram Lego vira controvérsia no país, onde o governo tenta controlar acesso

AFP
Fabricante diz ter encerrado vendas após receber notificação da Lego

Fabricante diz ter encerrado vendas após receber notificação da Lego

Divulgação

Uma empresa americana gerou polêmica ao comercializar uma pistola que lembra um brinquedo da marca Lego, enquanto as armas de fogo matam centenas de crianças todos os anos nos Estados Unidos.

Leia também: Biden pede proibição de fuzis de assalto para cidadãos nos EUA

A iniciativa levou a fabricante dinamarquesa dos brinquedos a notificar formalmente a empresa em questão. “Nossa organização entrou em contato com a Lego, que enviou uma carta de notificação formal ao fabricante irresponsável de armas”, tuitou nesta terça-feira (13) Shannon Watts, fundadora da associação Moms Demand Action, que pressiona por leis de armas mais estritas.

Perigosamente semelhante a um brinquedo criado com peças de Lego, a arma semiautomática da empresa Culper Precision foi batizada de "Block19" (uma brincadeira com a marca Glock e os blocos de Lego) e custa entre US$ 549 (cerca de R$ 2,8 mil) e US$ 765 (pouco menos de R$ 4 mil).

"Este é um dos nossos sonhos de infância se tornando realidade", anunciou a empresa em uma publicação feita em junho no Instagram promovendo a arma. "As pistolas são divertidas. Atirar com uma arma é divertido”, dizia a página dedicada ao produto na internet, que foi removida.

"É irresponsável e perigoso além do imaginável. Mesmo quando as armas não parecem brinquedos, as crianças podem usá-las", tuitou Shannon Watts nesta terça-feira.

O presidente da Culper Precision, Brandon Scott, confirmou ao "The Washington Post" que recebeu a notificação formal da Lego e que decidiu atender a seus pedidos, após vender menos de 20 pistolas.

A polêmica surge no momento em que o presidente Joe Biden faz do combate à "epidemia" de violência armada nos Estados Unidos uma das prioridades do seu mandato. Biden apresentou em junho medidas para conter a proliferação de armas de fogo em nível federal, mas o Congresso está dividido e os democratas tentam fazer o projeto avançar.

Últimas