Internacional Pompeo pede para China libertar canadenses presos desde 2018

Pompeo pede para China libertar canadenses presos desde 2018

Para o secretário de Estado dos EUA, as acusações contra os dois estrangeiros são politicamente motivadas e completamente infundadas

Reuters
Para o secretário Mike Pompeo, detenção é injustifcada

Para o secretário Mike Pompeo, detenção é injustifcada

Kevin Lamarque/Reuters - 10.1.2020

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, pediu na segunda-feira (22) a libertação imediata de dois canadenses acusados ​​pela China por suposta espionagem, dizendo que os Estados Unidos estavam "extremamente preocupados" e que a detenção dos dois homens era injustificada.

Leia mais: Governo de Hong Kong afirma que não cederá a ameaças de Trump

"Essas acusações são politicamente motivadas e completamente infundadas", afirmou Pompeo em comunicado.

Os promotores chineses anunciaram as acusações na sexta-feira contra o ex-diplomata Michael Kovrig e o empresário Michael Spavor, que foram presos no final de 2018.

Os dois homens foram detidos logo depois que a polícia canadense deteve o diretor financeiro da Huawei Technologies, Meng Wanzhou, sob mandado americano.

O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau agradeceu a Pompeo e a nações que recentemente denunciaram o tratamento da China aos dois homens.

"Nossos aliados em todo o mundo estão muito preocupados com o destino dos canadenses porque sabem muito bem que pode ser a sua vez em algum momento e devemos permanecer unidos para lamentar essas prisões arbitrárias", disse ele em uma entrevista diária em Ottawa.

Trudeau disse que os casos dos dois homens e Meng estavam claramente relacionados. No início do dia, a China disse que não tinha relação alguma e repetiu pedidos pela libertação de Meng.

Últimas