Portugal declara 'estado de alerta' por conta do coronavírus

País tem 78 casos confirmados, nenhum morto e nenhum recuperado. Escolas e casas de show foram fechadas e restaurantes aceitam menos pessoas

Portugal declara 'estado de emergência'

Portugal declara 'estado de emergência'

Rafael Marchante/Reuters - 12.3.2020

O governo de Portugal implementa nesta sexta-feira (13) o "estado de alerta" no país para atuar contra a crise do coronavírus, que já levou ao anúncio do fechamento de escolas e casas de shows e a limitação da capacidade em restaurantes.

Com 78 casos registrados, nenhum morto e um recuperado, o governo do primeiro-ministro António Costa deu um passo adiante para garantir com esta medida que "os meios de proteção civil e forças de segurança" estejam prontos para agir "prontamente", explicou a ministra da Presidência, Mariana Vieira, em uma teleconferência.

A ministra se reuniu hoje cedo com titulares das pastas de Economia, Saúde, Educação e Trabalho e Previdência Social para aprofundar os anúncios feitos pelo primeiro-ministro horas antes, nos quais avançou medidas como o fechamento de escolas, creches e casas de shows a partir da próxima segunda-feira até a Páscoa.

O estado de alerta, uma medida adotada em Portugal para reorganizar as forças de segurança diante de imprevistos - como incêndios - para aproveitar melhor sua capacidade, foi acompanhada pela promessa de que os trabalhadores que ficarem em casa para cuidar de seus filhos por causa da suspensão das aulas receberão 66% de seu salário.

Desse percentual, 33% será pago pela Previdência Social.

O processo de recrutamento de médicos também é simplificado, e os funcionários aposentados poderão ser recrutados.

Ações que buscam conter vírus em meio ao que António Costa chamou de "uma luta por nossa própria sobrevivência".

Nesse contexto, o governo reduzirá "um terço da capacidade máxima de cada estabelecimento de restauração" e vai impor limitações de "frequência" nos shopping centers.

Também limita as autorizações de ancoragem para cruzeiros turísticos, agora apenas para abastecimento, "e não para desembarque de passageiros", com exceção dos viajantes que residem em Portugal.

Além disso, limitará as visitas às casas de repouso em todo o país para proteger uma população "particularmente vulnerável".

"Essa pandemia no continente europeu em Portugal ainda não atingiu seu auge; pelo contrário, está em fase de evolução", disse Costa, afirmando ser "muito provável que nas próximas semanas" haja mais pessoas infectadas.