Internacional Portugal flexibilizará medidas de contenção do coronavírus no Natal

Portugal flexibilizará medidas de contenção do coronavírus no Natal

Não há limite de quantas pessoas podem se reunir na data e, nos dias 24 e 25, o toque de recolher noturno será adiado das 23h para as 2h

Reuters - Internacional
Apesar disso, primeiro-ministro pede que população tenha cuidado

Apesar disso, primeiro-ministro pede que população tenha cuidado

EFE

Portugal vai flexibilizar as medidas de contenção do novo coronavírus durante o período de Natal para permitir que pessoas visitem seus entes queridos, mas medidas serão reimpostas alguns dias depois para impedir as festas de Réveillon, afirmou o governo neste sábado (5).

Embora a proibição de viagens domésticas não seja imposta entre 23 e 26 de dezembro, o primeiro-ministro Antonio Costa pediu às pessoas que evitem passar muito tempo em grandes reuniões festivas sem usar máscara facial.

"É essencial que este Natal seja um momento de compartilhamento, mas que neste compartilhamento não haja transmissão involuntária do vírus", disse Costa a repórteres ao anunciar as medidas.

Não há limite de quantas pessoas podem se reunir por família para o Natal e, nos dias 24 e 25, o toque de recolher noturno será adiado das 23h para as 2h.

"Hoje as famílias têm informações suficientes para saber que as reuniões familiares são momentos de risco", afirmou o primeiro-ministro. "Temos de confiar no povo português".

Para a véspera de Ano Novo, as festas de rua serão proibidas e as reuniões ao ar livre serão limitadas a um máximo de seis pessoas.

As pessoas ainda poderão se encontrar nas casas umas das outras, desde que permaneçam em seus próprios municípios e voltem para casa antes do toque de recolher, às 2h da manhã.

Após uma primeira onda relativamente moderada da doença em comparação com países como Espanha ou Itália, Portugal registrou um número recorde de infecções e mortes durante a segunda onda, embora a contagem diária tenha caído ligeiramente nos últimos dias.

Com uma população de pouco mais de 10 milhões de habitantes, o país já soma, desde o início da pandemia, 318.640 casos confirmados de covid-19 e 4.876 mortes em decorrência da doença.

Últimas