Internacional Portugueses afetados pela crise da pandemia recebem alimentos

Portugueses afetados pela crise da pandemia recebem alimentos

Idosos são os mais atingidos pela falta de renda; Portugal tem 5ª maior população nesta faixa etária

Voluntários atuam na distribuição de alimentos

Voluntários atuam na distribuição de alimentos

Divulgação

A crise econômica global causada pela pandemia da covid-19 também atingiu Portugal, em especial os idosos. O país europeu é o quinto com maior quantidade de pessoas nesta faixa etária, atrás apenas de Japão, Itália, Grécia e Finlândia.

Para socorrer os portugueses mais necessitados, o projeto Famílias sem Fome está distribuindo alimentos em várias cidades do país, como Lisboa, Porto, Coimbra, Almada, Alentejo, Algarve e todas as ilhas da Madeira e Açores. Apenas em maio, serão entregues 1.350 sacolas com 15kg de itens da cesta básica em cada uma.

Apenas em maio, serão entregues 1.350 sacolas de alimentos para os portugueses

Apenas em maio, serão entregues 1.350 sacolas de alimentos para os portugueses

Divulgação

Regularmente, a ação cadastra famílias que recebem os alimentos no terceiro sábado do mês. Uma das comunidades atendidas fica na Quinta do Mocho, onde residem idosos com problemas crônicos de saúde, sem rendimentos e sem os recursos necessários para conseguir uma alimentação equilibrada.

O projeto é uma iniciativa do programa social Unisocial, mantido pela Igreja Universal do Reino de Deus de Portugal. Do início da pandemia até agora, já foram doadas 600 toneladas de alimentos para cerca de 30 mil famílias.

Cada sacola contém itens da cesta básica

Cada sacola contém itens da cesta básica

Divulgação

“Diante do desemprego e do aumento no número de portugueses desabrigados — que deixaram suas casas para morar em tendas ou embaixo de viadutos —, o projeto Famílias sem Fome estende a mão para os mais carentes e leva esperança nestes tempos difíceis. O que nos motiva a continuar intensificando o projeto é o amor ao próximo e ajudar quem tanto necessita”, explica Francisco da Silva, responsável pelo programa social no país.

Os alimentos são distribuídos no terceiro sábado do mês

Os alimentos são distribuídos no terceiro sábado do mês

Divulgação

Para a desempregada Pandia Espírito Santo, a ajuda do Unisocial fez a diferença. “Sou mãe de 3 meninas e estou sozinha. Não é fácil, pois tenho que cuidar de tudo, da renda e das despesas da casa. A palavra de fé e esperança é importante para nos dar força e aguentar essa pandemia e seguir em frente."

O projeto conta com o apoio de 170 voluntários.

Últimas