Internacional Prefeito de NY pede que acusações contra governador sejam apuradas

Prefeito de NY pede que acusações contra governador sejam apuradas

Bill de Blasio afirmou que alegações de que Andrew Cuomo teria cometido assédio sexual precisam ser investigadas

  • Internacional | Da AFP

Andrew 
Cuomo é acusado de assédio sexual por uma ex-assessora

Andrew Cuomo é acusado de assédio sexual por uma ex-assessora

Justin Lane / EFE - Arquivo

As acusações de assédio sexual contra o governador do estado de Nova York (EUA), Andrew Cuomo, devem ser investigadas de forma "completa e independente", disse nesta quinta-feira (25) o prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, fazendo coro a vários parlamentares locais.

Leia também: NY não contabilizou milhares de vítimas de covid-19, diz relatório

Em um post publicado nesta quarta, Lindsey Boylan, uma ex-assessora econômica do governador, de 36 anos, acusou Cuomo, de 63, de tê-la assediado sexualmente enquanto trabalhava em sua gestão, entre 2015 e 2018.

Atual candidata à presidência do distrito de Manhattan, Boylan afirma que Cuomo a beijou na boca à força, sugeriu um jogo de "strip poker" e fez vários esforços para "tocar suas costas, braços e pernas".

"O governador criou uma cultura dentro de seu governo em que o assédio e a intimidação eram tão frequentes que não apenas eram tolerados, como esperados", escreveu em um blog.

"Precisamos de uma investigação completa e independente, essas são acusações sérias", declarou o prefeito democrata de NY, que tem relações difíceis com Cuomo, também democrata e cuja sede de governo fica em Albany, na capital do estado.

"Devemos conhecer a verdade, a verdade estabelecida por um investigador ou uma entidade de investigação (...) que não sinta que não tem autorização para buscar a verdade", acrescentou De Blasio.

O governador não fez comentários após a publicação do texto de Boylan. Quando ela fez suas acusações pela primeira vez, em dezembro, Cuomo alegou que eram falsas.

Momento ruim

A retomada dessas denúncias chega em um momento ruim para Cuomo, cujo mandato termina em 2022: se no começo da pandemia desfrutava de alta popularidade, agora recebe críticas de todos os lados.

Entre outras coisas, afirma-se que ele minimizou o número de mortos pelo coronavírus em lares de idosos no estado de NY, que tem cerca de 20 milhões de habitantes. Uma investigação federal preliminar foi aberta.

O parlamentar Ron Kim, por sua vez, o acusa de ter ameaçado "destruí-lo" por criticar sua administração das casas de repouso.

Últimas