Internacional Premiê da Nova Zelândia diz 'não entender' política de armas nos EUA

Premiê da Nova Zelândia diz 'não entender' política de armas nos EUA

Jacinda Ardern anunciou a proibição de armas semiautomáticas de estilo militar e fuzis de assalto dias após o massacre que deixou 50 mortos

Premiê da Nova Zelândia diz não entender política de armas nos EUA

Entrevista foi realizada um dia antes de cúpula sobre extremismo online

Entrevista foi realizada um dia antes de cúpula sobre extremismo online

Jorge Silva/Reuters - 22.3.2019

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, declarou que não entende o motivo de os Estados Unidos não terem aprovado uma lei mais rígida sobre armas mesmo após diversos episódios de ataques a mão armada durante uma entrevista feita pela emissora CNN, nesta terça-feira (14).

"A Austrália experimentou um massacre e mudou suas leis. A Nova Zelândia teve sua experiência e mudou suas leis. Para ser honesta, eu não entendo os Estados Unidos", disse Jacinda dias antes de uma cúpula em Paris, organizada por ela e pelo presidente francês, Emmanuel Macron, que recebeu o nome de "O Chamado de de Christchurch". O encontro visa discutir o uso de mídias sociais para atos de terrorismo e acontecerá nesta quarta-feira.

No dia 15 de março, a Nova Zelândia foi o palco do pior massacre de sua história. Um homem branco de extrema-direita entrou em duas mesquitas armado e deixou 50 mortos e outros 50 feridos. Poucos dias após o massacre, Jacinda Arden anunciou a proibição de armas semiautomáticas de estilo militar e fuzis de assalto.

Segundo a premiê, a cúpula com Macron não tem como objetivo falar sobre regulamentação de mídias sociais e sim "colocar as empresas na mesa". Representantes do Twitter e do Google estarão presentes na reunião. 

O CEO do Facebook, Mark Zeckerberg, não estará presente mas, de acordo com a agência de notícias Reuters, Nick Clegg, ex-vice-primeiro-ministro do Reino Unido e atualmente vice-presidente do Facebook para assuntos globais e comunicações, comparecerá à reunião.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Ana Luísa Vieira