Presidente da Colômbia estende quarentena até 11 de maio

Iván Duque disse que setores como construção civil e indústrias poderão voltar, desde que respeitando protocolos de segurança

Enfermeiros testam moradores para identificar pessoas com covid-19 em Cali

Enfermeiros testam moradores para identificar pessoas com covid-19 em Cali

Ernesto Guzmán Jr / EFE - 20.4.2020

O presidente da Colômbia, Iván Duque, anunciou nesta segunda-feira (20) que a quarentena para combater o coronavírus será prorrogada pelo menos até o dia 11 de maio e que terá algumas exceções para setores como a construção civil e as indústrias de base.

"Tomamos a decisão de estender o isolamento preventivo obrigatório, incialmente até 11 de maio, tentando encaixar outros setores que possam ser retomados com protocolos de segurança e responsabilidade", disse ele, sobre a quarentena que começou em 25 de março e já tinha sido estendida até 27 de abril.

Leia também: Coronavírus e desemprego fazem venezuelanos voltarem da Colômbia

O presidente afirmou que os trabalhadores da construção e das indústrias poderão retornar às atividades, desde que cumpram com protocolos estabelecidos pelo governo e com responsabilidade, e ressaltou que o país não terá voos domésticos ou internacionais pelo menos até o fim de maio.

"Em 11 de maio iremos avaliar, de acordo com os avanços que tivermos, se também vamos liberar outros setores. Mas devemos ser claro: se não houver avanços e virmos que a capacidade do sistema de saúde esteja em risco, teremos de tomar decisões importantes", alertou.

Duque disse que essa medida busca "conciliar os valores da defesa da vida e da saúde com uma recuperação responsável e gradual da atividade produtiva" na Colômbia, que tem 3.977 casos confirmados de covid-19 e já registrou 189 mortes.

"Esta não é uma discussão sobre reclusão ou liberdade, sobre tudo ou nada, é o contrário. O que queremos é partir do princípio que nossa primeira responsabilidade é a proteção da vida e da saúde, mas fazer de um jeito que o coronavírus não termine criando uma pandemia de desemprego, pobreza ou recessão", declarou.

Duque insistiu que, no momento em que houver um levantamento gradual da quarentena, é fundamental que as pessoas mantenham o distanciamento social e o trabalho à distância , na medida do possível, e que se evite sair de casa.

Restrição aos voos

Duque afirmou que "para proteger a vida e a saúde" dos colombianos, é vital "manter o isolamento até o final da emergência sanitária", o que inclui os voos nacionais e internacionais.

"Não vamos liberar voos nacionais até o fim da emergência sanitária, a não ser nos casos contemplados nas decisões que tenos tomado para atender a circunstâncias de saúde, de ordem pública, de funcionamento do Estado ou de caráter humanitário", acrescentou.

Duque declarou estado de emergência no último dia 17 de março, inicialmente entre os dias 20 e 30 do mês, para tentar frear o avanço do coronavírus. Dois dias depois, anunciou a proibição dos voos internacionais a partir do dia 23. Os voos nacionais e viagens por estradas estão suspensos desde 25 de março.