Presidente do Conselho Europeu condena ataques do Irã 

Michel criticou os ataques contra base militar no Iraque e afirmou que a UE tentará expandir a comunicação para reduzir as tensões no Oriente Médio

Para promover a estabilidade no Oriente Médio, Michel visitará Turquia e Egito

Para promover a estabilidade no Oriente Médio, Michel visitará Turquia e Egito

Clemens Bilan / EFE-EPA - 12.06.2019

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, condenou nesta quarta-feira (8), na Eslováquia, os ataques realizados pelo Irã na madrugada de ontem (7) contra uma base militar no Iraque que recebe o apoio de soldados dos Estados Unidos e afirmou que a União Europeia (UE) tentará abrir novos canais de comunicação para reduzir as tensões no Oriente Médio.

"Sim, condenamos claramente a violência e não aceitamos nenhuma forma de violência. Nesse sentido, é necessário avançarmos pela via do diálogo", afirmou o ex-primeiro-ministro da Bélgica, hoje líder do órgão que reúne os chefes de Estado e de governo dos países-membros da UE.

Ao lado do alto comissariado de Política Externa da UE, Josep Borell, Michel disse que a diplomacia europeia continuará trabalhando para abrir canais de comunicação entre as partes em conflito. A ideia, segundo ele, é que o bloco exerça um papel importante se mantenha dentro do jogo como mediador.

No entanto, o ex-premiê fez questão de ressaltar o "forte vínculo" do bloco com os Estados Unidos, especialmente dentro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e na luta contra o terrorismo em todo o mundo.

Michel viajou à Eslováquia para realizar a primeira reunião de trabalho do Conselho Europeu no ano. Na sexta-feira, ele se reunirá com os chanceleres dos países da UE para tentar unificar a resposta do bloco à crise no Oriente Médio.

"Primeiro vem a unidade dos estamos-membros da UE. Temos que ser mais claros e mais unânimes sobre a Líbia e o Oriente Médio. Temos que lutar por uma maior estabilidade na região e não ficarmos de fora do jogo", afirmou o presidente do Conselho Europeu.

Como parte dos esforços da UE para promover a estabilidade no Oriente Médio, Michel visitará no sábado os presidentes da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e do Egito, Abdul Fatah al Sisi.

O presidente do Conselho Europeu também falou sobre o anúncio do Irã de que deixará de cumprir os últimos compromissos previstos no acordo nuclear de 2015. Para Michel, o pacto não é perfeito, mas oferece um canal de diálogo entre os países signatários.

"De qualquer forma, o conflito não pode ser ampliado. Uma escalada pode ter efeitos muito negativos para a Europa", concluiu Michel.