Terror na Europa
Internacional Primeiro-ministro da França pede que cidadãos sejam "implacáveis com os inimigos da liberdade"

Primeiro-ministro da França pede que cidadãos sejam "implacáveis com os inimigos da liberdade"

Manuel Valls disse que acontecimentos dessa semana bateram nos valores da República

Primeiro-ministro da França pede que cidadãos sejam "implacáveis com os inimigos da liberdade"

Autoridades francesas se reuniram neste sábado (10)

Autoridades francesas se reuniram neste sábado (10)

PATRICK KOVARIK / EFE

O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, pediu neste sábado (10) que não se baixe a guarda contra o terrorismo e que os cidadãos sejam "implacáveis com os inimigos da liberdade", uma indignação que deve ser total e permanente.

O chefe do governo francês, em discurso na cidade de Evry, no norte do país, indicou que os autores dos atentados desta semana em Paris, o massacre da revista Charlie Hebdo e o sequestro em um mercado kosher deixar 17 mortos além de três terroristas, bateram nos valores da República.

— Atacaram símbolos, os símbolos da França: a liberdade de se expressar, de dizer sua opinião, de caricaturar.

Manifestação no Afeganistão chama de "heróis" responsáveis por Charlie Hebdo

Valls considerou necessária "uma mensagem de firmeza em torno dos valores republicanos e do laicismo". A indignação deve ser total, disse, "mas não durante três dias, de forma permanente", e chama a extrair lições do sucedido e a analisá-lo com "lucidez" diante da constatação de que o terrorismo é o "maior desafio" que a França enfrenta.

— O terrorismo quer nos dividir. A mobilização dos franceses é a resposta mais bela.

Polícia caça namorada de terrorista e outros cúmplices de atentado em Paris

O primeiro-ministro ainda insistiu que cada um, tanto no nível político como particular, deve "assumir sua responsabilidade". Ele pediu que não sejam feitas conexões entre os que cometeram os atentados e os muçulmanos da França, e acrescentou que a melhor resposta que pode ser dada é também a união nacional.

Ataque em Paris foi "armadilha para chamar a atenção", diz especialista

Na véspera da celebração em Paris de uma manifestação em massa contra o terrorismo, que contará com a presença dos principais governantes europeus, Valls destacou que esse protesto mostrará "a dignidade do povo francês e seu amor pela liberdade e pela tolerância".