Reino Unido

Internacional Príncipe Andrew chega a acordo em processo por agressão sexual

Príncipe Andrew chega a acordo em processo por agressão sexual

Membro da família real britânica é suspeito de ter assediado uma menor de idade durante uma festa em 2001

AFP
Príncipe Andrew conheceu Virginia Giuffre quando a jovem tinha apenas 17 anos

Príncipe Andrew conheceu Virginia Giuffre quando a jovem tinha apenas 17 anos

Steve Parsons, Ben Gabbe/Getty Images North America/POOL/AFP - 12.1.2022

Documentos judiciais apresentados nesta terça-feira (15) revelam que o príncipe Andrew e a mulher que o processou por agressão sexual, a americana Virginia Giuffre, chegaram a um acordo. 

As partes "chegaram a um acordo extrajudicial", escreveu o advogado de Giuffre, David Boies, em uma carta a um juiz de Nova York enviada em nome de ambas as partes, sem divulgar os termos financeiros do pacto.

Como parte do acordo, a realeza britânica fará uma "doação substancial" para uma instituição de caridade fundada por Giuffre que apoia vítimas de tráfico sexual, disse Boies. 

Giuffre afirma que fez sexo com Andrew quando ela tinha 17 anos — e era menor de idade de acordo com a lei dos EUA —, depois de conhecê-lo por intermédio do financista americano Jeffrey Epstein, que cometeu suicídio na prisão, há dois anos, enquanto aguardava julgamento por crimes sexuais.

O príncipe, de 61 anos, não foi acusado criminalmente e negou as acusações. O acordo significa que o caso civil não irá a um julgamento com júri. Isso também significa que Andrew não será mais interrogado sob juramento pelos advogados de Giuffre.

"As partes apresentarão uma renúncia acordada assim que a sra. Giuffre receber o acordo (cujo valor não é divulgado)", disse o documento.

"O príncipe Andrew nunca teve a intenção de difamar o caráter de Giuffre e aceita que ela sofreu tanto como vítima de abuso quanto como resultado de ataques públicos injustos", acrescentou. "Ele promete demonstrar arrependimento por sua associação com Epstein, apoiando a luta contra os danos do tráfico sexual e suas vítimas." 

No mês passado, Andrew foi destituído de seus títulos militares honorários e funções de caridade depois que o juiz de Nova York Lewis Kaplan negou seu pedido de arquivamento do caso de Giuffre.

Ilha privada

Giuffre, agora com 38 anos, alega que Andrew a agrediu sexualmente na casa de Ghislaine Maxwell, companheira de Epstein e socialite em Londres, depois de uma festa em março de 2001. 

Ela processou o príncipe no ano passado por danos não especificados, alegando que foi vítima de tráfico sexual nas mãos de Epstein e Maxwell. 

Em dezembro, Maxwell foi condenada por recrutar e aliciar menores para abuso sexual por parte de Epstein, expondo um mundo dramático de tráfico sexual entre ricos e poderosos.

Além do assédio em Londres, Giuffre disse que Andrew a assediou na casa de Epstein em Nova York e na ilha particular de Epstein nas Ilhas Virgens Americanas

Andrew, o segundo filho da rainha Elizabeth 2ª, se retirou da vida pública como membro da realeza em 2019, depois de uma entrevista da BBC amplamente criticada na qual ele tentou se justificar da acusação.

Últimas