Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Príncipe nigeriano é condenado à forca por ter matado a patroa

Adewale Oyekan foi condenado à morte por ter assassinado a dona do restaurante onde trabalhava, para ficar com o estabelecimento e a casa dela

Internacional|Fábio Fleury, do R7


O príncipe Adewale Oyekan (d) e Lateef Balogun deixam o tribunal após sentença
O príncipe Adewale Oyekan (d) e Lateef Balogun deixam o tribunal após sentença

Um príncipe nigeriano foi condenado à morte por enforcamento na última segunda-feira (16), por ter assassinado sua ex-patroa e escondido o cadáver em um poço, para ficar com o restaurante dela, em 2012. 

Adewale Oyekan, filho do antigo obá (rei cerimonial) de Lagos, Adeyinka Oyekan, e o ex-empregado doméstico Lateef Balogun, foram considerados culpados pela morte de Alhaja Sikirat Ekun, 62, que era uma política e empresária de sucesso.

Leia também: Polícia resgata 19 mulheres de 'fábrica de bebês' na Nigéria

Segundo a acusação, os dois mataram Ekun por estrangulamento e depois jogaram o corpo dela em um poço de 300m de profundidade. Oyekan era gerente do restaurante da vítima e contratou Balogun para ajudá-lo, pelo equivalente a 12,59 libras (cerca de R$ 67,15).

Publicidade

Assassinato e roubo

Leia também

Após o crime, eles tomaram a casa e o restaurante e chegaram a vender um ônibus de Ekun, por 360 libras (cerca de R$ 1.919). Após uma investigação policial, os dois foram presos e permaneceram em custódia até a condenação, esta semana.

Adewale Oyekan morava nos EUA, onde estudava arquitetura, e voltou à Nigéria em 2003, quando o pai dele morreu. Nessa época, Ekun o ajudou, o contratou como gerente do restaurante e deixou que ele ficasse em sua casa.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.