Procurador do Peru investiga morte de dois funcionários do McDonald's

A polícia disse que os funcionários foram eletrocutados enquanto limpavam a cozinha, no último domingo (15)

Cartazes de protesto colados em restaurante McDonald's fechado em Miraflores, em Lima

Cartazes de protesto colados em restaurante McDonald's fechado em Miraflores, em Lima

Reuters/Gisselle Alvarez Meza

O gabinete de um procurador peruano informou que está investigando a morte de dois funcionários jovens de um restaurante McDonald's de Lima, um incidente que provocou protestos contra a rede de fast-food no país.

Os funcionários Alexandra Porras, de 18 anos, e Carlos Campo, de 19 anos, foram eletrocutados no domingo em Pueblo Libre, um bairro da capital periana, enquanto limpavam a cozinha, disse a polícia.

A Arcos Dorados Holdings Inc, franqueadora independente que possui e opera restaurantes McDonald's no Peru e em outros locais da América Latina, divulgou um comunicado no Twitter dizendo que coopera com as autoridades na investigação.

A empresa disse que fechou todos seus pontos comerciais no país por dois dias em luto, e que todos seus empregados serão pagos durante esse período.

Sediado nos Estados Unidos, o McDonald's Corp disse em um comunicado que está "profundamente entristecido com o acidente trágico que ocorreu no restaurante McDonald's franqueado de Lima", acrescentando que está trabalhando com o parceiro local responsável por "uma investigação minuciosa com as autoridades locais".

A polícia local e um procurador radicado em Lima estão investigando o incidente, disseram a polícia e o escritório do procurador.

O Ministério do Trabalho peruano disse que também realizará uma investigação.