Coronavírus

Internacional Protesto na França reúne mais de 175 mil contra passaporte sanitário

Protesto na França reúne mais de 175 mil contra passaporte sanitário

Manifestação, que ocorre pela segunda semana consecutiva, também é contra vacinação obrigatória contra a covid-19

AFP
Protesto contra passaporte sanitário em Marselha, na Grança

Protesto contra passaporte sanitário em Marselha, na Grança

NICOLAS TUCAT / AFP - 21.08.2021

Opositores do passaporte sanitário e da vacinação obrigatória contra a covid-19 voltaram a se manifestar na França neste sábado, embora a mobilização tenha perdido força pela segunda semana consecutiva.

Os protestos reuniram 175.503 pessoas na França, segundo o Ministério do Interior, frente a 214.845 na semana anterior, na qual já havia diminuído o número de participantes. O grupo militante Le Nombre Jaune contabilizou 388.843 participantes no último sábado, também abaixo dos 415.000 relatados na semana anterior.

O sexto fim de semana de mobilização transcorreu em um ambiente tranquilo. Vinte pessoas foram presas e um membro das forças de segurança ficou ferido, segundo o ministério.

O certificado sanitário, aprovado pela maioria dos franceses, é obrigatório em bares e restaurantes, em serviços médicos sob certas condições, em trens e em mais de 120 shoppings e lojas da região de Paris e do sul. O documento pode ser obtido com o esquema de vacinação completo, com um teste de antígenos ou se a doença foi superada nos últimos seis meses.

Em Paris, houve quatro manifestações, uma delas convocada por Florian Philippot, da extrema direita, ex-número 2 da Frente Nacional.

De acordo com o Ministério da Saúde francês, mais de sete em cada 10 pessoas receberam pelo menos uma dose de vacina e mais de seis em cada 10 estão totalmente imunizadas na França.

Últimas