Internacional Protestos após publicação contra Maomé deixam 3 mortos na Índia

Protestos após publicação contra Maomé deixam 3 mortos na Índia

Parente de um político local fez críticas ao Islã em rede social. Pelo menos 60 policiais ficaram feridos e viaturas e delegacias foram vandalizadas

  • Internacional | Da EFE

Protestos começaram depois de post no Facebook

Protestos começaram depois de post no Facebook

Sachin Ravikumar/Reuters - 12.8.2020

Pelo menos três pessoas morreram e 60 ficaram feridas, na madrugada desta quarta-feira (12), durante tumultos que eclodiram na cidade de Bangalore, no sul da Índia, como resultado de uma postagem crítica ao Islã na rede social Facebook feita por um parente de um político local.

"Três pessoas morreram durante uma operação policial que tentou acalmar a situação, além de 60 policiais feridos", disse um oficial da Sala de Controle da Polícia de Bangalore à Agência Efe, que preferiu manter o anonimato.

Ele acrescentou que os manifestantes "vandalizaram uma de nossas delegacias e vários veículos".

Protestos depois de postagem

A fonte explicou que os distúrbios iniciaram na noite de terça-feira e "vários veículos foram queimados ao redor da casa do deputado local" Srinivas Murthy, do histórico partido do Congresso - da dinastia Nehru-Gandhi - depois que um um parente dele, postou no Facebook uma mensagem depreciativa contra o profeta Maomé.

O autor da postagem, o sobrinho de Murthy, Naveen, foi "preso por postar mensagens depreciativas", disse o chefe de polícia de Bangalore, Kamal Pant, no Twitter.

"Além disso, um total de 110 pessoas foram presas sob a acusação de incêndio criminoso, lançamento de pedra e agressão à polícia. Apelo a todos para que cooperem com a polícia para manter a paz", escreveu Pant.

Pant também observou que um toque de recolher foi imposto nos bairros afetados que vai durar até amanhã pela manhã, enquanto que foram impostas restrições de concentração no resto da cidade.

"O ataque a um jornalista, a polícia e o mobiliário público nos tumultos de ontem à noite é inaceitável. O governo não tolerará tais provocações e rumores. Serão tomadas medidas contra os perpetradores. Apelo ao povo para manter a paz e agir com moderação e sem pânico", escreveu também no Twitter, o chefe do Governo de Karnataka, BS Yediyurappa.

Últimas