Novo Coronavírus

Internacional Putin convoca Brics a acelerar criação de centro de vacinas

Putin convoca Brics a acelerar criação de centro de vacinas

Presidente russo disse que firmou acordo com Brasil e Índia para a realização de testes clínicos da vacina Sputnik V e parceria com China

  • Internacional | Da EFE

Putin falou sobre vacinas contra covid em cúpula

Putin falou sobre vacinas contra covid em cúpula

Alexei Nikolsky/EFE/EPA - 17.11.2020

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, convocou nesta terça-feira (17) os governantes dos países do bloco Brics, que integra junto com Brasil, Índia, China e África do Sul, a acelerar a criação de um centro de vacinas, após acordo firmado em anterior reunião de cúpula, realizada em 2018.

"Consideramos de grande importância agilizar a criação de um centro de desenvolvimento e pesquisa de vacinas do Brics, algo que definimos há dois anos, com nossos colegas sul-africanos, em Johanesburgo", disse o chefe de governo russo, no discurso de abertura do 12º encontro de líderes do grupo.

Na cúpula, que está sendo realizada por meio de videoconferência, Putin destacou a importância da atuação conjunta na área e destacou que a Rússia firmou acordo com Brasil e Índia para a realização de testes clínicos da vacina Sputnik V.

Além disso, com chineses e indianos, foi firmado pacto para a produção do agente imunológico russo, para isso do Brics e de outros países parceiros.

O presidente russo explicou que a tarefa de dar passos coletivos na luta contra o novo coronavírus, que provoca a covid-19, dentro do formato de bloco de países, passa a estar em primeiro plano na atualidade.

Segundo Putin, é fundamental aumentar a interação dos serviços epidemiológicos dos cinco países, para proteger a saúde e a vida dos cidadãos.

"O tema de cooperação em matéria de saúde não é uma novidade para os Brics", indicou.

O mandatário da Rússia lembro que, cinco anos atrás, com a "Declaração de Ufa", foi acordado o trabalho conjunto para evitar a propagação de doenças contagiosas. Na ocasião, inclusive, se falou de possíveis novos coronavírus.

Últimas