Coronavírus

Internacional Quase 100 mil marroquinos são autuados por não usarem máscara

Quase 100 mil marroquinos são autuados por não usarem máscara

Uso de máscara é obrigatório desde abril e descumprimento pode render multas de até R$ 2 mil e pena de prisão de um a três meses, em casos graves

Marroquinos são autuados por não usarem máscara

Marroquinos são autuados por não usarem máscara

Toms Kalnins/EFE/EPA - 07.10.2020

Quase 100 mil marroquinos compareceram perante a justiça de seu país por não usarem a máscara obrigatória para se proteger do coronavírus, segundo o vice-ministro do Interior, Noureddine Boutayeb.

Numa intervenção que decorreu na segunda-feira (26) perante a Assembleia da República e que foi reportada pela agência oficial do MAP, Boutayeb especificou que o número total de detenções em mercados e espaços públicos foi de 624.543 pessoas, das quais 98 mil foram autuadas e apresentadas à Justiça .

O uso de máscara é obrigatório quando os cidadãos saem de casa desde 6 de abril, e o descumprimento é punível com multas de 300 a 1.300 dirhans (entre R$ 460 a R$ 2 mil), além de penas de prisão de um a três meses, nos casos mais graves.

Para facilitar o acesso às máscaras, o governo impôs um preço de venda muito baixo para a qualidade mais básica, além de organizar distribuição gratuita de numerosos lotes em bairros desfavorecidos.

O vice-ministro explicou ainda que o governo requisitou temporariamente 421 estabelecimentos hoteleiros (com 26 mil camas) e os colocou à disposição das autoridades locais para abrigar médicos, agentes do Estado e parte dos infectados por covid-19 e aqueles com quem eles tiveram contato próximo.

Por último, explicou que o seu governo emitiu 62.569 “autorizações especiais de viagem para fora do território nacional” por motivos familiares, profissionais ou de saúde, uma vez que as fronteiras do país estão fechadas desde 13 de março.

Últimas