Novo Coronavírus

Internacional Rainha da Inglaterra toma vacina contra covid-19

Rainha da Inglaterra toma vacina contra covid-19

Decisão de tornar pública a notícia da aplicação do imunizante tem o objetivo de evitar especulações e encorajar a população

  • Internacional | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Rainha Elizabeth II e Príncipe Philip tomaram a vacina contra covid-19
  • Decisão de tornar pública a notícia tem a intenção de incentivar a população
  • Aplicação aconteceu no Castelo de Windsor e foi feita por um médico particular
  • Reino Unido já vacinou mais de 1,5 milhão de britânicos desde 8 de dezembro
A Rainha Elizabeth II, 94 anos, e seu marido, o Príncipe Philip, 99 anos

A Rainha Elizabeth II, 94 anos, e seu marido, o Príncipe Philip, 99 anos

EFE

A Rainha Elizabeth II, 94 anos, e o marido dela, o Príncipe Philip, 99 anos, tomaram a vacina contra a covid-19, confirmou o Palácio de Buckingham neste sábado (9). 

De acordo com o jornal The Telegraph, a decisão de tornar pública a notícia foi tomada pessoalmente pela Rainha com a intenção de evitar especulações sobre o assunto e também para incentivar a população a fazer o mesmo.

A aplicação aconteceu dentro do Castelo de Windsor e foi feita por um médico particular. Em geral, as informações sobre a saúde da família real britânica são mantidas em sigilo.

O Reino Unido foi o primeiro país do mundo a iniciar a vacinação, em 8 de dezembro, com a autorização da vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech pelas autoridades de saúde. Até agora, o país já imunizou mais de 1,5 milhão de pessoas contra a covid-19.

Nesta semana, os britânicos passaram a receber também a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela empresa farmacêutica AstraZeneca. Nas próximas semanas, a vacina da Moderna começará a ser aplicada. 

O Reino Unido está em seu terceiro lockdown, quando as pessoas são impedidas de circular pelas ruas e o comércio proibido de funcionar normalmente, por conta do aumento do número de casos da doença. 

Em dezembro passado, o primeiro-ministro, Boris Johnson, anunciou que o país havia identificado uma variante de coronavírus que seria mais agressiva do que aquela que começou a circular na China. A notícia fez diversos países proibirem a entrada de pessoas que estiveram no Reino Unido.

Últimas