Novo Coronavírus

Internacional Região no centro da Itália anuncia lockdown nesta semana

Região no centro da Itália anuncia lockdown nesta semana

De acordo com dados do Ministério da Saúde da Itália, a região de Abruzzo já registrou 19.823 casos de coronavírus, sendo 13.499 ativos

  • Internacional | Ansa

Abruzzo se torna a sétima região a ser bloqueada para conter a segunda onda da covid

Abruzzo se torna a sétima região a ser bloqueada para conter a segunda onda da covid

Ciro De Luca/Reuters - 16.10.2020

O governo de Abruzzo, na parte central da Itália, anunciou nesta segunda-feira (16) que irá impor lockdown em toda região, na tentativa de conter a propagação do novo coronavírus (Sars-CoV-2), mas manterá as escolas abertas.

A medida foi revelada pelo governador Marco Marsilio, durante uma visita ao hospital San Raffaele, em Sulmona, e entrará em vigor a partir do dia 18 de novembro. Com isso, Abruzzo se torna a sétima região a ser bloqueada para conter a segunda onda da crise sanitária, junto com Calábria, Campânia, Lombardia, Piemonte, Toscana e Vale de Aosta.

Leia mais: Coronavírus chegou na Itália mais cedo do que se pensava

"Tomamos a decisão de assinar um decreto que aplica à região de Abruzzo a disciplina contida no artigo 3º do Dpcm (decreto do presidente do Conselho dos Ministros), ou seja, a das chamadas zonas vermelhas", explicou.

O protocolo para as chamadas áreas vermelhas prevê regras semelhantes às do lockdown vigente entre março e maio, como fechamento de restaurantes e do comércio não essencial e proibição de sair de casa a não ser por motivos de saúde, trabalho ou urgência.

A diferença para a primeira quarentena, no entanto, é que, desta vez, as indústrias permanecem abertas, e restaurantes podem manter serviços de comida para retirada.

Já em relação às escolas, o governador informou que "houve uma discussão muito ampla" sobre o assunto, como deveria ser, e todos no conselho concordaram que não dá para aceitar o pedido do grupo Técnico Científico para impor o fechamento de todas as instituições da região.

Leia mais: Itália passa dos 400 mil novos casos de covid-19 e endurece medidas

"A disciplina legal vigente não permitiria às famílias enfrentar esse problema. Manter as atividades econômicas abertas e não ter licença parental ou gratificação de babá, o fardo que pesaria sobre as famílias seria insustentável", finalizou Marsilio.

Nos últimos dias, os governos nacional e regionais estão anunciando novas medidas restritivas contra o avanço da segunda onda de covid-19, principalmente depois de a Itália bater recordes nos números de casos e mortes diários.

De acordo com dados do Ministério da Saúde da Itália, a região de Abruzzo já registrou 19.823 casos de coronavírus, sendo 13.499 ativos. Nas últimas 24 horas, 642 pessoas receberam o diagnóstico da doença.

Últimas