Brexit: Reino Unido fora da União Europeia

Internacional Reino Unido aceita adiar ratificação europeia do acordo do Brexit

Reino Unido aceita adiar ratificação europeia do acordo do Brexit

Governo britânico permitiu que autoridades da União Europeia tenham até o fim de abril para analisar as cláusulas a fundo

Decisão adia a ratificação do acordo até o fim de abril

Decisão adia a ratificação do acordo até o fim de abril

HAYOUNG JEON/EFE/ EPA

O Governo do Reino Unido manifestou nesta terça-feira (22) o seu consentimento para que a União Europeia adie até 30 de abril a ratificação do acordo do Brexit, que entrou em vigor provisoriamente em 1º de janeiro.

Leia também: Johnson diz a ministros que Brexit pode ser finalizado sem acordo

Bruxelas havia solicitado a prorrogação do prazo de confirmação formal, inicialmente previsto para antes do próximo domingo, diante de reclamações de alguns integrantes do Parlamento Europeu, que exigiam mais tempo para submeter o texto a exame.

O secretário de Estado do Gabinete, Michael Gove, destacou em uma carta ao vice-presidente da Comissão Europeia para Relações Interinstitucionais, Maros Sefcovic, que a aplicação provisória do tratado não é a opção preferida por Londres, dada a "incerteza que cria para indivíduos e empresas".

Embora o Reino Unido aceite o pedido de Bruxelas, espera que a UE "satisfaça suas exigências internas" até 30 de abril e não solicite outra extensão.

Questão alfandegária

Os dois lados estão ao mesmo tempo em uma negociação sobre os controles alfandegários que foram postos em prática entre a região britânica da Irlanda do Norte e a ilha da Grã-Bretanha depois do Brexit.

O governo britânico solicitou uma moratória que expira entre março e junho deste ano a ser prorrogada até pelo menos 2023 para permitir que as empresas se adaptem às novas exigências.

O comitê conjunto criado entre os dois lados do Canal para monitorar o cumprimento do acerto de saída do Reino Unido da UE se reunirá amanhã por videoconferência para tratar desse e de outros assuntos.

O comitê será presidido do lado britânico por Gove, embora se espere que a partir de 1º de março seja David Frost, que foi negociador de Brexit para Londres, fique à frente do fórum

Últimas