Coronavírus

Internacional Reino Unido afrouxará restrições contra coronavírus no fim de ano

Reino Unido afrouxará restrições contra coronavírus no fim de ano

O objetivo, segundo o primeiro-ministro, Boris Johnson, é facilitar os encontros familiares no Natal; detalhes serão divulgados na segunda-feira

  • Internacional | Da EFE

O primeiro-ministro, Boris Johnson, vai pausar algumas restrições sociais

O primeiro-ministro, Boris Johnson, vai pausar algumas restrições sociais

Toby Melville/Reuters - 12.10.2020

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, planeja relaxar as medidas impostas para combater a pandemia do coronavírus durante o Natal para facilitar os encontros familiares, de acordo com seu escritório oficial, Downing Street.

O chefe de governo detalhará nesta segunda-feira (23) seu plano de reintroduzir um sistema de três níveis de restrições a partir de 2 de dezembro, quando terminará o prazo das providências atuais, decretadas em 5 de novembro.

Leia também: Brasil soma 168,9 mil mortes por covid e 6 milhões de casos

O roteiro incluirá uma pausa em algumas das restrições sociais entre 22 e 28 de dezembro, embora o plano esteja aguardando o acordo da Johnson de um calendário semelhante para todo o Reino Unido com os governos descentralizados de Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, de acordo com a emissora de televisão "Sky News".

O premiê, que permanece em confinamento solitário após estar em contato com um membro do Parlamento que deu positivo no teste de coronavírus, "vai expor como as pessoas poderão ver seus entes queridos no Natal". A informação é de um porta-voz do governo, que, no entanto, frisou: "Está claro que este não será um período normal de férias".

Fora do período de Natal, as restrições nas regiões mais atingidas pela pandemia serão mais severas do que as impostas em outubro na Inglaterra.

"Os esforços de todos durante as restrições nacionais atuais ajudaram a colocar o vírus sob controle novamente, retardar sua propagação e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde pública", disse o porta-voz.

"Mas o primeiro ministro e seus conselheiros científicos deixam claro que o vírus ainda está presente e que, sem restrições regionais, ele poderia ficar fora de controle novamente antes que as vacinas e os testes em massa tivessem tido efeito", acrescentou.

O Reino Unido registrou 341 mortes por covid-19 e 19.875 infecções neste sábado, enquanto na sexta os números foram de 20.252 casos e 511 óbitos.

Últimas