Reino Unido

Internacional Reino Unido eleva para 'grave' risco de ameaça terrorista

Reino Unido eleva para 'grave' risco de ameaça terrorista

Autoridades investigam explosão de táxi diante de hospital em Liverpool; quatro homens de 29 a 20 anos foram detidos

AFP
Policiais investigam a cena da explosão em táxi diante de um hospital em Liberpool

Policiais investigam a cena da explosão em táxi diante de um hospital em Liberpool

Paul Ellis / AFP - 15.11.2021

O Reino Unido elevou para "grave", nesta segunda-feira (15), o nível de ameaça terrorista no país, o segundo mais alto, anunciou a ministra britânica do Interior, Priti Patel, no dia seguinte à explosão de um táxi em frente a um hospital de Liverpool.

"Elevamos o nível de ameaça de importante para grave", declarou a ministra na televisão, ressaltando que a ocorrência de Liverpool foi o segundo ato considerado terrorista depois do assassinato do deputado David Amess há um mês.

Este nível de ameaça significa que o risco de um atentado é considerado "altamente provável".

O povo britânico "nunca será intimidado pelo terrorismo", disse nesta segunda-feira o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. "Nunca iremos ceder diante daqueles que querem nos dividir com atos insensatos".

No domingo à noite, a polícia antiterrorista anunciou a prisão de "três homens de 29, 26 e 21 anos" por meio da lei de terrorismo, na zona de Kensington. Nesta segunda, a polícia revelou que deteve um quarto homem, de 20 anos.

As razões para o "ato terrorista" ainda não são conhecidas, segundo Russ Jackson, responsável pela polícia antiterrorista no noroeste da Inglaterra.

Explosivo artesanal

Os investigadores acreditam que o artefato explosivo foi "fabricado" pelo passageiro que o levou no interior do carro e morreu na explosão.

O passageiro entrou no táxi na avenida Rutland, em Liverpool, e pediu para ir ao hospital feminino, que fica a 10 minutos dali de carro.

A polícia encontrou um imóvel nessa avenida, onde "foram localizados objetos significativos para a investigação, que será ampliada hoje e potencialmente nos próximos dias". Outra residência na região também foi vasculhada por policiais.

A explosão aconteceu logo antes das 11 da manhã (8h de Brasília) durante as homenagens às vítimas das guerras, chamado "Dia da Memória" no Reino Unido. A poucas centenas de metros dali, soldados, veteranos e membros do público estavam reunidos para uma homenagem na catedral de Liverpool.

A polícia ainda não sabe se a explosão tinha as comemorações como alvo. Segundo a imprensa local, que citou investigadores e amigos do taxista, uma versão é que o passageiro quis ir primeiro à catedral, mas como algumas ruas estavam, fechadas, o motorista precisou passar duante do hospital.

"Não podemos estabelecer uma ligação neste momento, mas é uma linha de investigação que estamos explorando", disse Jackson em uma coletiva de imprensa nesta segunda. Segundo ele, os investigadores acreditam que já têm a identidade do passageiro, mas preferem mantê-la em segredo por enquanto.

"Coragem incrível"

Alguns tabloides e políticos chamaram de "herói" o taxista que ficou ferido na explosão, mas que evitou, segundo eles, que pessoas morressem. Segundo a polícia, ele já saiu do hospital para onde foi levado.

"O caso ainda está sendo investigado, por isso não posso confirmar detalhes nem dizer exatamente que yipo de incidente ocorreu, mas parece que o taxista em questão se comportou com uma frieza e uma coragem incríveis", disse Johnson, durante uma visita a um centro médico em Londres.

A polícia antiterrorista está à frente da investigação, com apoio do MI5, o serviço de inteligência britânico, segundo a BBC.

Segundo o Daily Mail, o motorista teria se dado conta de que o passageiro era "suspeito" e o deixou preso no táxi antes de fugir.

"O taxista, com um esforço heróico, conseguiu evitar o que poderia ser uma catástrofe terrível no hospital", assegurou a prefeita de Liverpool, Joanne Anderson, à BBC nesta segunda. Ela confirmou que o motorista "travou as portas" do veículo.

Últimas