Novo Coronavírus

Internacional Reino Unido 'está no pico' da pandemia, afirma governo

Reino Unido 'está no pico' da pandemia, afirma governo

Departamente de Saúde confirmou mais 763 mortes por covid-19 ocorridas nas últimas 24 horas, totalizando 18.100 desde o início da pandemia

  • Internacional | Da EFE

Placa no metrô de Londres pede para quem não esteja em trabalho essencial ficar em casa

Placa no metrô de Londres pede para quem não esteja em trabalho essencial ficar em casa

Andy Rain / EFE-EPA - 22.4.2020

O secretário de Saúde britânico, Matt Hancock, afirmou nesta quarta-feira (22) que o Reino Unido "está no pico" da pandemia de covid-19, e ressaltou que as restrições de circulação só serão suspensas quando o governo considerar seguro.

O Departamente de Saúde britânico confirmou, também nesta quarta-feira, mais 763 mortes provocadas pela doença ocorridas nas últimas 24 horas, totalizando 18.100 desde o início da pandemia.

Após a realização de 22.814 exames em um dia, foram confirmados 4.451 novos casos da doença. Desde que o primeiro caso foi diagnosticado, o governo britânico contabiliza 133.495 resultados positivos nos testes.

Hancock compareceu à Câmara dos Comuns para a primeira sessão a distância, após as atividades parlamentares serem suspensas no dia 25 de março, que contou com a presença de vários ministros, do líder trabalhista, Keir Starmer, e de alguns parlamentares, enquanto os demais participaram por videoconferência.

Medidas de isolamento permanecem

Em meio às oscilações nos números de mortos pela covid-19 no país, que voltaram a subir na terça-feira, após uma queda anterior, o secretário disse que o Reino Unido está "no pico da pandemia" e que ainda não foi visto o efeito das medidas de confinamento.

De acordo com Hancock, essas medidas só serão suspensas quando forem alcançadas as condições estabelecidas pelo governo em 16 de abril, quando prorrogou o confinamento para 7 de maio.

Os requisitos são possibilitar que o Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) seja capaz de enfrentar a pandemia, presenciar "uma queda sustentada" na taxa de mortalidade diária e documentar uma redução dos contágios "a níveis administráveis".

O governo também deve poder garantir exames e quantidades adequadas de equipamento de proteção pessoal para o setor da saúde, e garantir que qualquer mudança não provocará uma segunda onda de contágios.

20% de mortes não notificadas

Em discurso, Hancock também reconheceu que os números reais de mortes pela covid-19 no Reino Unido podem ser cerca de 20% maiores do que os divulgados diariamente pelo governo, que só coleta dados de mortes ocorridas em hospitais, deixando de fora os falecimentos em residências.

Uma análise do jornal Financial Times, que combina essas informações com dados do Instituto Nacional de Estatísticas Britânico (ONS, na sigla em inglês), situa o número estimado de mortes no Reino Unido em 41 mil, mais que o dobro da quantidade divulgada pelo governo.

Últimas