Internacional Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos após ataque a ex-agente

Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos após ataque a ex-agente

Diplomatas foram identificados como oficiais de inteligência não declarados. Theresa May diz que Rússia é responsável por atentado contra ex-espião

reino unido rússia

May dá prazo de uma semana aos diplomatas russos

May dá prazo de uma semana aos diplomatas russos

Reuters / Toby Melville / 14.3.2018

O Reino Unido irá expulsar 23 diplomatas russos identificados como oficiais de inteligência não declarados. A medida é tomada como parte da resposta ao envenenamento de um ex-agente duplo russo no sul da Inglaterra.

Em pronunciamento oficial, a primeira ministra Theresa May afirmou que o Reino Unido considera a Rússia culpada pela tentativa de assassinato de Sergei Skripal.

O ex-agente russo colaborou, no passado, com o serviço de inteligência britânico e foi condenado na Rússia por traição.

May estabeleceu o prazo de uma semana para que os diplomatas saiam do território britânico. Será a maior explusão de membros do corpo diplomático do país nos últimos 30 anos.

O Reino Unido ainda tomará outras medidas contra a Rússia. "Nós iremos congelar bens estatais russos onde quer que haja evidência de que eles podem ser usados para ameaçar a vida ou propriedade de cidadãos ou residentes do Reino Unido", disse a primeira-ministra.

May também anunciou que a família real britânica não participará da Copa do Mundo na Rússia. No início da semana, o ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, chegou a ameaçar um boicote completo do Reino Unido à Copa do Mundo, o que impediria a participação da equipe da Inglaterra no torneio.

Ex-agente envenenado

Skripal, um ex-coronel que trabalhava para o serviço de inteligência militar russo condenado por traição em Moscou, foi encontrado caído inconsciente em um banco fora de um shopping center na cidade inglesa de Salisbury, no dia 4 de março. Ele estava ao lado da filha Yulia. Ambos seguem hospitalizados.

Durante as investigações, a polícia britânica identificou o agente nervoso utilizado para envenenar pai e filha como pertencendo ao grupo Novichok, um conjunto de substâncias neurotóxicas desenvolvidas pela Rússia.

    Access log