Coronavírus

Internacional Reino Unido mantém data de reabertura apesar de novo surto

Reino Unido mantém data de reabertura apesar de novo surto

Novo ministro da Saúde disse que governo quer reabrir país em 19 de julho, apesar de números recordes de casos e mortes

  • Internacional | Da EFE

Alguns locais públicos ainda exigem uso de máscaras no Reino Unido

Alguns locais públicos ainda exigem uso de máscaras no Reino Unido

Andy Rain / EFE - EPA - 15.6.2021

O recém-nomeado ministro da Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, afirmou nesta segunda-feira (28), em sua primeira declaração perante o parlamento britânico, que mantém o plano de eliminar todas as restrições contra a pandemia no dia 19 de julho, apesar de hoje ter sido registrado o maior número de infecções um só dia desde o último mês de janeiro.

Leia também: Governo britânico se desculpa por arquivo achado em ponto de ônibus

"Não vemos razão para ir além de 19 de julho. Porque, para ser honesto, nenhuma data que escolhermos estará associada a um risco zero para a covid-19. Sabemos que não podemos eliminá-la; devemos aprender a conviver com isso", disse Javid, que substituiu no cargo Matt Hancock, forçado a renunciar após violar as medidas de restrições sociais contra a pandemia.

O novo ministro admitiu que o avanço das infecções, impulsionado pela expansão da variante Delta do vírus, está provocando "um aumento das hospitalizações", embora tenha garantido que este aumento está "em linha" com os números que o Executivo antecipava.

Aumento de casos

Nesta segunda-feira, foram registradas 22.868 novas infecções, o maior número desde 30 de janeiro. Nos últimos sete dias, foram contabilizados 116.287 casos, 69,9% a mais que nos sete dias anteriores; assim como 122 mortes, 64,9% a mais, e 1.557 internações, um aumento de 10,3%.

"Embora os casos estejam aumentando, o número de mortes continua bastante baixo e continuaremos investigando como nossas vacinas estão quebrando a ligação entre casos, hospitalizações e mortes", detalhou o ministro da Saúde britânico.

Javid destacou ainda que 61,9% da população adulta já completou o esquema de vacinação, enquanto 84,4% já recebeu pelo menos a primeira dose.

"Nossas vacinas estão funcionando. Também contra a variante Delta", ressaltou o ministro, que estima que a imunização salvou 27.000 vidas no Reino Unido até agora e evitou mais de sete milhões de infecções.

No entanto, alertou para o perigo da variante Delta, que já representa 95% das infecções no país: "Além de ser transmitida mais facilmente, as evidências sugerem que causa um risco maior de que quem não foi vacinado precise de tratamento hospitalar".

A meta do governo é que no dia 19 de julho, quando se prevê a última e definitiva medida de reabertura, dois terços da população adulta já tenham duas doses de uma vacina.

"Diante dos sacrifícios que os britânicos fizeram, devemos restaurar suas liberdades o mais rápido possível e não podemos esperar um momento a mais do que o necessário", justificou Javid à Câmara dos Comuns.

"Minha tarefa é contribuir para a recuperação da vida econômica e cultural que faz deste um grande país, enquanto, é claro, protegemos vidas e mantemos nosso sistema de saúde pública", concluiu.

Últimas