Reino Unido

Internacional Reino Unido simplifica procedimento de entrada de refugiados ucranianos

Reino Unido simplifica procedimento de entrada de refugiados ucranianos

Pessoas com vínculos familiares no país poderão obter permissão de entrada a partir de qualquer lugar em que estejam

AFP
Manifestante segura bandeira britânica durante protesto contra a invasão russa da Ucrânia

Manifestante segura bandeira britânica durante protesto contra a invasão russa da Ucrânia

Henry Nicholls/Reuters - 06.03.2022

Depois de ser muito criticado por sua lentidão na concessão de vistos temporários para as pessoas que fogem da guerra na Ucrânia, o governo britânico anunciou, nesta quinta-feira (10), a simplificação do procedimento para ucranianos com vínculos familiares no país.

A partir de terça-feira (15), "os ucranianos com passaporte poderão obter, completamente online, permissão para vir de onde quer que estejam e poderão fornecer seus dados biométricos uma vez no Reino Unido", anunciou a ministra do Interior, Priti Patel.

“Uma vez estudada a sua candidatura e realizadas as verificações pertinentes, eles receberão uma notificação direta de que podem aderir ao esquema e vir para o Reino Unido”, especificou.

Isso significa que os ucranianos não terão mais que ir aos poucos centros de solicitação de vistos britânicos distribuídos por toda a Europa, que poderão "concentrar seus esforços em ajudar os ucranianos sem passaporte", ressaltou.

O governo de Boris Johnson foi duramente criticado na quarta-feira pela ministra sobre questões parlamentares  e sanitárias pela sua gestão de pedidos de visto de refugiados ucranianos, que classificou de "caos e confusão".

A ministra apelou à eliminação de "atrasos e burocracia desnecessários" e pediu que o processo tenha melhores recursos, seja mais eficiente e transparente.

Até quarta-feira, o Reino Unido havia concedido 957 vistos de 12 meses e apenas para ucranianos com laços familiares no país.

Entre 50 mil e 60 mil ucranianos vivem no Reino Unido, e o embaixador ucraniano em Londres, Vadym Prystaiko, estimou que cerca de 100 mil de seus parentes poderiam tentar se juntar a eles.

O complicado processo britânico foi comparado por muitos à política da vizinha União Europeia, que concede residência de três anos a ucranianos sem visto.

Patel falou vagamente da possibilidade de ucranianos sem laços familiares com o Reino Unido poderem viajar para o país através do patrocínio de indivíduos, instituições de caridade, empresas e comunidades, sem mais detalhes.

Últimas