Era Trump

Internacional Republicanos teriam recebido ameaças de partidários de Trump

Republicanos teriam recebido ameaças de partidários de Trump

Segundo democratas, colegas teriam relatado ameaças contra eles e suas famílias caso votem pela remoção do presidente

Câmara dos Representantes debate o impeachment de Donald Trump

Câmara dos Representantes debate o impeachment de Donald Trump

Divulgação via EFE - EPA - 13.1.2021

Parlamentares do Partido Republicano têm dito a colegas democratas que apoiam o segundo impeachment do presidente Donald Trump por conta da violenta invasão ao Capitólio na semana passada, mas que temem se opor publicamente a ele, por conta de ameaças de violência e até mesmo assassinato contra eles e suas famílias.

Leia também: Pelosi diz que Trump 'é um perigo para o país e deve sair'

Segundo o democrata Jason Crow, do estado do Arizona, alguns republicanos com quem ele vem conversando nos últimos dias chegaram a chorar relatando a pressão que têm sofrido.

"Precisamos falar algumas coisas que têm acontecido do lado republicano", disse Crow em entrevista à emissora MSNBC. "Uma minoria no partido é de pessoas que realmente apoiam as teorias da conspiração, mas a maioria está paralisada de medo. Alguns deles me disseram que temem por suas vidas se apoiarem esse impeachment."

Outro parlamentar democrata, David Cicilline, contou que teve conversas similares com membros do partido do presidente e que eles temem medo por sua segurança.

Apesar das supostas ameaças, durante os debates antes da votação do segundo impeachment contra Trump, na tarde desta quarta (13), pelo menos seis representantes republicanos já se declararam a favor de remoção do presidente do poder: Adam Kinzinger (Illinois); Liz Cheney (Wyoming); John Katko (Nova York) e Fred Upton (Michigan), Jaime Herrera Beutler (Washington) e Dan Newhouse (Washington).

Últimas