Novo Coronavírus

Internacional Romênia se torna 1º país da UE a vacinar adolescentes contra covid

Romênia se torna 1º país da UE a vacinar adolescentes contra covid

Mais de 2 mil jovens que possuem entre 12 e 15 anos de idade já se cadastraram para receber a primeira dose do imunizante

Adolescentes de 12 a 15 anos começaram a receber doses da vacina

Adolescentes de 12 a 15 anos começaram a receber doses da vacina

EFE/EPA/ROBERT GHEMENT

A Romênia começou nesta quarta-feira (2) a administrar a vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 em adolescentes de entre 12 e 15 anos, tornando-se assim o primeiro país da União Européia (UE) a iniciar a imunização dessa faixa etária.

Segundo fontes da campanha de vacinação em Bucareste explicaram à Agência Efe, os pais que desejam vacinar seus filhos podem fazê-lo marcando uma consulta online ou indo diretamente a qualquer centro de vacinação.

Mais de 2.000 adolescentes com idades entre 12 e 15 anos já se inscreveram online para a primeira dose.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou a vacina Pfizer/BioNTech para jovens dessa faixa etária na última sexta-feira. Segundo o chefe da campanha nacional de vacinação da Roménia, Valeriu Gheorghita, o país dos Balcãs é o primeiro da UE a vacinar a população a partir dos 12 anos.

Uma das primeiras crianças a serem vacinadas hoje foi Rares, um morador de Bucareste de 14 anos que recebeu a injeção durante a apresentação oficial da campanha de imunização para menores em um parque no sul da capital romena.

Leia mais: Casos de covid-19 no mundo caem 15% em uma semana

"Quero me vacinar para voltarmos a viver como antes", disse Rares, acompanhado de sua mãe, a médica Sandra Alexiu.

De acordo com o prefeito do setor 4 de Bucareste, Daniel Baluta, unidades móveis de vacinação serão implementadas a partir da próxima segunda-feira nas escolas para possibilitar aos pais a imunização de seus filhos até o final deste ano letivo.

Recentemente, as autoridades sanitárias romenas abriram completamente a vacinação, a todas as idades e grupos sociais, sem preferência, dada a desaceleração da taxa de vacinação.

Nos centros urbanos, 40% da população foi vacinada com pelo menos uma vez, enquanto nas áreas rurais esse número mal chega a 10%.

Alguns especialistas temem que o lento índice de vacinação nas últimas semanas confirme as pesquisas que apontam que mais da metade da população romena se recusa a ser vacinada contra o coronavírus.

Últimas