Novo Coronavírus

Internacional Rússia: demanda pela Sputnik V é maior que capacidade de produção

Rússia: demanda pela Sputnik V é maior que capacidade de produção

Vacina já foi autorizada por 51 países, incluindo o Brasil, mas prioridade das autoridades é vacinar toda a população primeiro

Rússia admite que demanda por Sputnik V é maior que capacidade de produção

Rússia admite que demanda por Sputnik V é maior que capacidade de produção

Shamil Zhumatov/Reuters - 21.01.2021

O porta-voz da Presidência da Rússia, Dmitry Peskov, afirmou nesta segunda-feira (15) que a demanda pela vacina contra o novo coronavírus Sputnik V, desenvolvida no país, é maior do que a capacidade de produção.

O agente imunizante recentemente teve doses compradas pelo Ministério da Saúde do Brasil, por um consórcio de governadores da Região Nordeste, pela prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, entre outros governos locais.

"A demanda da vacina russa no mundo é muito grande atualmente e supera, significativamente a oferta", disse Peskov, em entrevista coletiva que concede diariamente.

A Sputnik V já teve uso autorizado em 51 países, além da Rússia. Ao todo, isso significa que a vacina pode ser aplicada em 1,3 bilhão de pessoas.

O porta-voz da Presidência garantiu que o Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (FIDR), responsável pela promoção e venda do agente imunizante no exterior "trabalha dia e noite" para que a produção seja suficiente para atender a demanda internacional.

Peskov, no entanto, lembrou que a prioridade do governo de Vladimir Putin segue sendo vacinar primeiramente toda a população russa.

Hoje, o FIDR divulgou que 3,5 milhões de pessoas já foram imunizadas na Rússia com as duas doses da Sputnik V.

Além do Brasil, China, Irã, Sérvia e Coreia do Sul estão entre os países que firmaram acordos com o fundo soberano russo para a produção de um total de 1,4 bilhão de doses da vacina.

Além disso, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, pela sigla em inglês), analisa a aprovação do agente imunizante russo, enquanto companhias de Alemanha, Espanha, França e Itália já têm acordos com o FIDR para também produzir a Sputnik V.

Últimas